Campanha reivindica que pets viajem nas cabines com os donos

“Não somos bagagem, somos seres vivos!” Depois de conhecer casos de animais que perderam a vida no transporte aéreo, a gata Angel – que viaja com a família na cabine – busca garantir que todos possam voar com seus donos em condições dignas.

Quando têm que viajar com seus pets, uma das maiores preocupações dos amantes dos animais, são as condições em que eles são transportados até o destino. Embora existam alguns pets – como cães-guia – que podem viajar junto da cabine, a maioria dos nossos bichinhos de estimação deve ir para a área de carga ao lado da bagagem.

Por vezes os pets não resistem às viagens junto das bagagens e acabam perdendo suas vidas

Essa condição tem oferecido sérias consequências para eles, que vão desde o enorme estresse que sofrem ao viajar no escuro e com o barulho das turbinas, até a morte em alguns casos. Foi o que aconteceu, por exemplo, com um cão Husky em 2018, que, enquanto viajava no porão de carga, ficou sem oxigênio após não ter sido posicionado adequadamente durante um vôo de mais de 10 horas.

[ Veja também: Estudo comprova: “Cachorro também é gente”. Entenda ]

Uma campanha de sucesso nas redes sociais

Para evitar situações como essa, onde animais de estimação perdem a vida em razão do frio ou até mesmo por serem esmagados por outras bagagens, nasceu a campanha: “Não somos bagagem, somos seres vivos”, promovida pela linda gatinha Angel.

Angel junto de seus donos. Acompanhe ela no Instagram: @angelbengal

[ Veja também: Como combater ansiedade do seu pet ]

Angel é uma celebridade no Instagram, onde tem mais de 155k de seguidores. Muito provavelmente em razão da sua influência, é que a campanha tenha tido o peso necessário para avançar.

Foi por meio de uma extensa postagem no IG, que alinda gatinha Bengal Angel de 7kg explicou a situação dos animais ao serem colocados junto às bagagens nos aviões:

Não sou bagagem, sou uma passageira! Dois gatos morreram recentemente e um foi congelado durante o voo da @aeroflot de Nova York. E esse não é um problema exclusivo da Aeroflot, mas um grande problema para as companhias aéreas em geral. Quantos pets mais precisam morrer durante voos para que as cias aéreas mudem suas regras de transporte de animais?

Eles são congelados, queimados ou feridos até a morte. Eles são transportados juntos das bagagens comuns e às vezes são mantidos do lado de fora por horas, não importando se está muito quente ou muito frio. Isso é terrível!

O dono da Angel escreveu

Angel é uma viajante frequente e tem sorte de voar sempre na cabine, já que é pequena. Mas por que outros animais, com peso superior a apenas 8kg, são tratados como sacos de carga? Por favor, compartilhe essa informação para que as companhias aéreas sejam alertadas e alterem suas regras de transporte de animais. Eles devem ser tratados como passageiros!

Porque eles não são bagagem, são passageiros como você e eu.

Termina o post

Veja a postagem original a seguir e compartilhe em suas redes!

View this post on Instagram

“I’m not luggage, I’m a passenger!” 💔✈️ Recently two cats died and one was frozen during @aeroflot flight from NYC. Airport employees killed them by crushing their carriers and treating them like luggage. And it’s not only Aeroflot problem but a big problem of all airlines in general. How many more animals have to die during cargo flights so airlines change transportation rules for them? They are either frozen or fried to death or get injuries. The carriers are transported together with other bags and sometimes are kept outside for hours no matter if it’s too hot or too cold. It’s just so wrong. Angel is a frequent traveler but she’s is lucky to fly in the cabin because she’s small. But why other animals who weigh over 8kg are treated like bags in the cargo? I want to ask you to share this information to make all airlines aware and make them change animal transportation rules! They must treat them like passengers! Because our furry friends are not luggage they are passengers just like you and me ❤️ 𝐏.𝐒. 𝐓𝐡𝐢𝐬 𝐩𝐡𝐨𝐭𝐨 𝐨𝐟 𝐀𝐧𝐠𝐞𝐥 𝐰𝐚𝐬 𝐦𝐚𝐝𝐞 𝐝𝐮𝐫𝐢𝐧𝐠 𝐨𝐮𝐫 @𝐟𝐞𝐞𝐥𝐟𝐢𝐧𝐧𝐚𝐢𝐫 𝐟𝐥𝐢𝐠𝐡𝐭 🤗❤️ 𝐀𝐧𝐠𝐞𝐥 𝐭𝐫𝐚𝐯𝐞𝐥𝐞𝐝 𝐢𝐧 𝐜𝐚𝐛𝐢𝐧 𝐰𝐢𝐭𝐡 𝐯𝐞𝐫𝐲 𝐟𝐫𝐢𝐞𝐧𝐝𝐥𝐲 𝐜𝐫𝐞𝐰 👩🏻‍✈️🧑🏻‍✈️✈️😍 #imNotLuggage #imNotBaggage #янечемодан #янечемоданяпассажир #янебагаж

A post shared by Angel Bengal (@angelbengal) on

Vai viajar com o pet?
Veja aqui orientações para escolher o tipo de bolsa adequada ao seu pet.

Pets viajar na cabine: por que não em todas as cias aéreas?

Além do compartilhamento massivo dessa publicação, em razão da repercussão, várias páginas foram criadas para assinar petições para fortalecer a campanha de apoiar o transporte de pets na cabine dos aviões, junto com seus donos.

Embora já existam cias aéreas que permitam que animais possam viajar na cabine, a intenção da campanha é de uma regulação universal em que animais sejam tratados como seres vivos (veja só!) e não como apenas mais uma carga na área de bagagens dos aviões.

Nós achamos que eles merecem é UM ASSENTO NO AVIÃO!

E você, o que acha?

Fonte:
Upsocl

11 dicas para viajar de carro com o cachorro em segurança

Preparamos uma lista bem completa do que você deve se preocupar antes de fazer uma viagem longa com seu pet (+300km). Prontifique-se de cumpri-las e aproveite a melhor dessa bela experiência!

1. Plaquinha de identificação para o pet

Importantes para caso em algum momento o cãozinho se perca. A identificação tem objetivos bem importantes:

  • Quem encontra um cachorro com identificação já sabe que ele está perdido e pertence a alguém
  • Claro, com um telefone para contato a probabilidade de ter o cãozinho devolvido é imensa!

Você pode comprar ou até mesmo mandar fazer a plaquinha para seu dog. Apenas não esqueça de inserir informações importantes como o nome dele e o seu telefone para contato.

Coleira e plaquinha de identificação para o dog
O cachorro pode ficar sempre com um colar (coleira de pescoço) e com a plaquinha de identificação.

2. Dê voltinhas pela cidade com o pet alguns dias antes de fazer a grande viagem

O ambiente do carro pode fazer com que o cachorro estranhe. Isso é comum, já que é um espaço que ele pode não estar familiarizado. Então, uma vez que você definiu que vai fazer a viagem com seu cachorro, dê voltinhas pela cidade com ele.

São oportunidades para deixá-lo calmo com o movimento da viagem que se aproxima.

3. Pet sempre no banco de trás

Sabe aquela comparação que “pets são crianças”? Pois é, nessa hora é fundamental que essa lição seja cumprida: nunca viaje com o cachorro no banco da frente.

No entanto, não dá para “passar o cinto” e seguir viagem. É preciso que você adapte o espaço do banco traseiro para seu pet viajar com segurança e também conforto. Para isso, existem algumas soluções no mercado:

  • Bolsas “pet carrier”;
    São bolsas que se ajustam ao banco e são presas pelo cinto de segurança do carro. Em forma de “cestinha”, o pet viaja como se estivesse em uma caminha.
  • Caixas de transporte (dependendo do tamanho do pet);
    Diversos tamanhos são disponibilizados no mercado. Importante verificar se a caixa tem adaptadores para prender o cinto de segurança do carro. Como são indicadas também para viagem em avião, essa é uma forma segura de transporte, mas o cachorro fica preso em um ambiente fechado.
  • Cinto de segurança adaptado à coleira;
    Para essa solução, o cachorro fica livre em cima do banco traseiro. No entanto com mobilidade reduzida, já que o extensor que prende a coleira ao conector do cinto de segurança do carro, tem em média 60cm de comprimento. Essa costuma ser uma solução prática e mais barata.
  • Capas para proteção dos bancos.
    Indicada para utilizar com cães de qualquer porte, as capas para proteção dos bancos por si só não asseguram a viagem do pet. Elas devem ser utilizadas junto do cinto de segurança para o cachorro. Sua função é de proteger os bancos traseiros de sujeira e qualquer bagunça que o pet fizer durante a viagem.

Não importa qual solução você escolheu para viajar com seu cachorro, mas nunca – absolutamente nunca – deixe-o (mesmo preso) no banco da frente. Em um possível impacto, o simples acionamento do Air-Bag pode provocar graves lesões no cachorro.

Não dê chance para o azar 🙂

Vai viajar com seu cachorro? Ele sempre no banco de trás!
Coleira peitoral e cinto de segurança para o cachorro.

[ Veja também: Vai viajar com seu pet? Veja essas dicas ]

4. Consulta ao vet antes da viagem

Indiferente a situação da carteira de vacinação do seu cachorro, é recomendado que ele faça uma visita ao seu veterinário de confiança. Assim você pode receber instruções e até indicações de medicamentos para os primeiros socorros do pet.

Evite qualquer orientação que não seja direcionada pelo seu vet. A última coisa que você vai precisar numa viagem é que seu cão se intoxique!

5. Carteira de Vacinação em dia

A consulta ao veterinário não exime a responsabilidade de ter a carteira de vacinação do seu pet em dia, tá? Durante a viagem, em uma blitz policial, a carteirinha do animal poderá ser exigida e em caso de ausência ou até mesmo falta de alguma vacina, você pode ter complicações inconvenientes.

Então o recomendado é que você já aproveite a ida ao veterinário e deixe seu cachorro em dia com a saúde dele 😉

Além da vacina contra a raiva, considere vermífugos e antipulgas. Seu cachorro vai passar por locais desconhecidos, então essas simples atitudes o deixarão imunes para o período da viagem.

Carteira de Vacinação Golden Retriever. Na Petite Sofie tem para a raça do seu pet!
A Petite Sofie é parceira oficial Nita Faco para Carteiras de Vacinação personalizadas com a carinha do seu pet. Confira!

6. Itens obrigatórios na mala do pet

Acho que já falamos que o pet é como se fosse nossa criança né? 😀 Por isso, eles também precisam de suas coisinhas para a viagem. Veja o que recomendamos que você leve para ajudar a cuidar do seu pet:

  • Sacos e cata-caca
    Se mesmo em um passeio no parque já é recomendado que você ande com um, imagina se não seria importante para uma viagem longa com o pet? Seja responsável e não deixe as necessidades do cachorro pelo caminho. Você pode levar um saco para reunir as sujeiras de maneira mais prática. No próximo posto de combustíveis, elimine no lixo e tudo certo!
  • Garrafa para água:
    Tenha sempre água. Seja pra você, seja para seu pet. Nas paradas que farão para o cachorro se aliviar, ele pode tomar um pouquinho para permanecer hidratado.
  • Comedouro/Bebedouro:
    Se você não tiver, ou também não tiver interesse em ter a garrafinha adequada ao pet, você pode levar um potinho para servi-lo com água durante as pausas na viagem. Depois, quando vocês chegarem ao destino, é importante ter uma tigela para servir a ração e outra para a água. Exatamente como você já o serve em casa.
  • Cama/Colchonete:
    A saída ideal para seu cachorro descansar quando chegarem ao destino. Mesmo ainda dentro do carro, se o cachorro viajar com o cinto de segurança, nada impede que ele possa ficar seguro e em cima de sua cama/colchonete no banco do carro. Importante que o cão se familiarize com a caminha ou colchonete antes da viagem. Dessa forma ele se sente mais à vontade.
  • Manta e roupinhas:
    Mesmo em destinos mais quentes, seja durante a viagem ou nas noites a temperatura pode cair e chegar a ponto de deixar o pet desconfortável. Nessas horas usar uma roupinha ou uma manta junto da caminha podem ser excelentes saídas.
  • Brinquedos:
    Viajar com criança dá nisso.. chega uma hora que a paciência acaba 🙂 Para deixar o cachorro entretido durante a viagem, os brinquedos favoritos dele podem acompanha-lo no banco de trás do carro e depois no ambiente do hotel/casa onde vocês ficarem.
  • Fraldas:
    Uma maneira conveniente de manter o pet limpo durante a viagem é a utilização de fraldas vet. Existem diversos tamanhos e é a saída mais prática para o caminho da viagem. Apenas acostume o pet com o produto antes de fazer a viagem longa.
  • Lenços umedecidos e toalhas :
    Caso você não tenha a capa que proteja os bancos traseiros, numa parada para o xixi pode ser que o cãozinho se suje. Então nada mais prático que utilizar lenços umedecidos ou toalhinha para deixa-lo limpo para a continuidade da viagem. Depois, em seu destino, os produtos podem ser úteis também para a volta de um passeio ou em qualquer momento que o pet precisar de uma forcinha com a higiene 🙂

[ Veja também: Vou comprar uma bolsa para meu pet. Por qual decidir? ]

7. Primeiros socorros

Em relação ao pet, você vai definir com seu veterinário de confiança. Você pode também validar com ele as nossas sugestões. Veja o que indicamos para os primeiros socorros do pet:

  • Rolo de gaze
  • Ataduras especiais para pet
  • Analgésico (verificar com o vet o medicamento adequado ao tamanho e idade do seu cachorro)
  • Peróxido de hidrogênio: para a limpeza de feridas ou até mesmo indução de vômito, caso o pet ingerir algo indevidamente
  • Pomada antibiótica
  • Medicamente anti-náusea (verificar com o vet)
  • Uma foto atualizada do cachorro. Caso seja necessário identifica-lo a desconhecidos
  • Toalhas de papel: são práticas para limpezas rápidas e fáceis de descartar
  • Leve mais de uma coleira e guia para o cachorro
  • Bolsa de transporte ou cobertor/toalha grande o suficiente para envolver o pet caso vocês estejam em espaço que há restrição para a circulação de animais
Dar uma caminhada com o cachorro, durante a viagem, faz bem pra ele e pra você!
“Esticar as pernas” e fazer um xixizinho de vez em quando vai bem durante a viagem!

8. Faça paradas esporádicas em locais seguros

Uma viagem longa de carro já é cansativa para gente, então imagine para um pet. Nossa recomendação é que vocês façam paradas frequentes de hora em hora.

E quando realizar as paradas, tenha atenção redobrada para sair do carro com o pet já preso na coleira e você firme na guia. Um passeio rápido de 3min já ajuda a circular o sangue e deixar o pet mais tranquilo na volta ao carro.

Evite comida durante o trajeto, mas sempre ofereça água nas paradas para o xixi. A hidratação é fundamental.

9. Atenção com a alimentação

Armazene bem a ração do seu cachorro para a viagem. Utilize potes ou saquinhos que sejam bem vedados. A sugestão é para você evitar que o cão coma muito durante a viagem. Mas algum petisco pode ser oferecido ao pet.

  • Evite alimentar o cachorro com menos de 4h para a partida.
  • Evite qualquer novidade para o pet durante a viagem. Deixe para experimentar novas rações e/ou petiscos quando estiverem em casa.
  • Calcule, de acordo com o tempo que estarão fora, quanto de ração será necessária para alimentar seu cachorro no período e leve apenas o necessário.

Se você alimenta seu cão com alimentação natural, armazene as refeições em uma bolsa térmica ou caixa de isopor para evitar que a comida estrague no caminho.

O cachorro até pode gostar, mas vento direto nos olhos e no ouvido pode trazer problemas!
Janela aberta durante a viagem? Não mesmo!

10. Nada de ar condicionado muito frio!

Além do cuidado com a alimentação para evitar mal estar no animal, a temperatura do ar condicionado do carro durante a viagem também merece atenção.

  • Se muito quente, o cachorro pode ficar ofegante e desidratar. Dessa maneira serão necessárias muitas paradas, seja para abastecer o pet com água ou também para dar saída ao xixi produzido.
  • Se muito frio, o cachorro pode se resfriar e até adoecer com o choque térmico da temperatura ambiente fora do carro.

Por isso a indicação é que o ambiente interno do carro esteja semelhante a tempertura exterior. No entanto, deixe o bom senso imperar. O conforto necessário para a viagem requer temperatura próximo aos 25°C.

De maneira alguma deixe a janela do carro aberta durante a viagem. Além do risco de provocar o cachorro a pular pra fora, o vento prejudica muito os olhos e os ouvidos dos cães.

11. Aproveite a viagem do começo ao fim!

Está tudo pronto para a viagem? Então agora é hora de curtir! A experiência de viajar com o cachorro pode ser magnífica. Busque por hotéis “pet-friendly” e aproveite do começo ao fim.

Agora, se você perceber que seu cachorro não se acostumou a andar de carro e poderá sofrer com uma viagem longa. O ideal é procurar um parente ou um hotel para o pet ficar enquanto você estiver fora.

O coração pode ficar na mão, mas é mais responsável e seguro. 😉
Você já viajou com seu pet? Tenha sido uma boa ou má experiência, conta ela pra gente aqui!


Fonte:
PetMD
Granvitapet