Com quantos meses é recomendado dar banho em gato?

Normalmente, são difundidos que os gatos não gostam e não precisam de banho. Porém, isso não é totalmente verdade. Alguns gatinhos de pelo curto raramente precisam de um banho, enquanto os gatos com pelo mais comprido geralmente necessitam de um pouco mais de ajuda com a higiene, além de escovações.

Assim como fazer carinho no gatinho, dar banho neles também tem suas restrições. Você deverá evitar dar banho antes do seu gato completar 1 mês de vida, após isso você já pode ir introduzindo os banhos aos poucos na rotina dele. Alguns aceitam com mais facilidade, então comece assim que você adotar ou comprar um, desde que ele tenha pelo menos 4 semanas de vida.

Gato no banho em banheira
Evite banho em gatos menores de apenas UM MÊS de vida.

[ Veja também: Veja duas opiniões opostas sobre o uso de FURminator ]

A seguir, vamos entender tudo sobre os banhos nesses animais, materiais necessários, shampoo, cuidados e recomendações gerais.

Gatos precisam mesmo de banho?

Algumas causas podem influenciar nessa resposta, ou seja, ela depende de diversos fatores. Ainda assim, vale lembrar que a higiene é sempre bem-vinda, então vamos detalhar os motivos, a seguir, que podem levar um gato com poucos meses a precisar de banho. Confira.

■ Se tiver pulgas ou outros parasitas

A melhor recomendação para gatos que estão sob tratamento de pulgas e carrapatos é o banho frequente. Esses parasitas geralmente se alojam em pelos sujos e encontram um modo de vida farto para viverem.

Assim, além dos medicamentos, é essencial oferecer banhos periódicos para ajudar a removê-los. Em alguns poucos casos, também é oferecido que o gato seja tosado para ajudar na retirada desses parasitas, mas isso é menos comum.

■ Em caso de sujeira ou odor extremos

Alguns gatos, por mais que fiquem muito tempo dentro de casa, possuem a mania de sair e ficar algumas horas passeando por aí. Pode acontecer de ele ter contato com locais sujos, como bueiros, árvores, ruas movimentadas ou com outros animais de rua que podem apresentar doenças e bactérias.

Sendo assim, caso perceba que seu gato está realmente sujo ou que ele se sujou em casa, em lama em dias chuvosos, terra, fezes ou urina, ofereça um bom banho para preservar a sua higiene. Caso note que ele está só com as patas ou alguma parte do corpo com algum odor inadequado, passe um pano úmido para ajudar a remover essa sujeira local.

■ Recomendação veterinária

É comum alguns gatinhos apresentarem alergias a produtos usados em casa, problemas de pele ou até mesmo erupções e feridas por conta de alguma doença. Se isso acontecer, marque uma consulta veterinária e com certeza a higiene e o banho vão ajudar a melhorar os aspectos os problemas dele.

Além disso, é possível que o veterinário prescreva alguns medicamentos para passar na pele ou para tomar, então é interessante que ele esteja limpo para ter uma melhor absorção do remédio, além de remover sujeiras que poderiam acumular bactérias e fungos.

Eles não gostam muito, mas os benefícios do banho para seu gato são muitos!

Como dar banho em gatos

Agora que já entendemos os motivos para dar banho nos gatinhos, vamos entender como fazê-lo! As dicas e recomendações dadas a seguir são muito boas para você praticar com o seu animal em casa e oferecer uma boa qualidade de vida.

■ Separe os materiais necessários

Antes de tudo, é interessante separar os itens que serão usados no banho. São eles: shampoo de limpeza simples e rotulado especificamente para gatos; várias toalhas para secá-lo; tapete de borracha; toalha de rosto; e itens para distração e relaxamento, como bolinhas ou peixinhos de borracha.

É melhor usar um tipo de shampoo feito especificamente para gatos e evitar o shampoo humano. Isso deve ocorrer, porque os gatinhos têm pelagem e pele sensíveis, e elas podem ficar irritadas por resíduos inadequados.

■ Prepare a água adequadamente

A melhor maneira de dar banho em seu gatinho sem causar estresse é colocá-lo suavemente na água morna, sem incomodá-lo. Recomenda-se preparar o banheiro ou a lavanderia, manter a água adequada correndo suavemente para ajudar na lavagem do animalzinho.

Recompense-o com um petisco se ele tiver comportamento adequado e não estiver estressado. Aos poucos, segure-o no lugar pela nuca ou faça carinho, jogando a água primeiro nas patas e depois nas costas (de trás para frente). Molhe a cabeça por último, quando ele já estiver calmo.

■ Lave por partes e com calma

Comece lavando as patinhas, bem devagar. Depois ensaboe a barriga e peito e também faça sempre de baixo para cima, para ele não assustar com o banho nas costas.

Quando chegar nessa parte, comece pelo rabo, costas inferiores, superiores e, por último, pescoço e cabeça. Nessa parte, ele já estará mais acostumado. Então, enxágue o focinho bem devagar, pois é a parte que gatos costumam sentir mais aversão.

■ Seque adequadamente seu amigo

Você vai querer secá-lo delicadamente com uma toalha macia após o banho para evitar que ele pegue um resfriado. Enxugue as patinhas, as pernas e depois a barriga. Por último, seque bem as costas, o pescoço e a cabeça.

Opte por horários quentes para que ele não sinta frio. Se precisar dar banhos em gatos em épocas frias, opte pelo sol para ajudar na regulagem da temperatura também. Secadores não são muito bem aceitos por eles, mas vale a pena tentar!

Já está com tudo pronto para o banho do seu gato?

Como foi visto, é interessante que os gatos tomem banho a partir de 1 a 2 meses de vida. Não é de grande costume como outros animais, pois eles mesmos possuem o hábito de se limpar, mas é importante que o banho seja oferecido quando necessário.

Esses cuidados estendem-se não somente em situações nas quais o pelo esteja sujo, mas principalmente quando houver recomendações veterinárias, quando o pet possuir problemas de pele, sujeira extrema e odores inadequados.

Por isso, acostume o seu gatinho ao banho aos poucos, desde filhote. Essa fase é ótima para que ele cresça já se acostumando, e consiga tomar banho sem se estressar e dar trabalho futuramente.

Finalmente uma escova “tira pelos” pet que funciona!

Se você é pai ou mãe de pet sabe bem como é difícil ter um produto que tira pelos do pet casa afora. Os removedores existentes por aí geralmente não dão conta do recado. Só que o que viemos apresentar pra você aqui é justamente uma solução completa para a remoção de pelos do pet.

  • Luva True Touch:
    Retira os pelos mortos de forma rápida e eficiente enquanto você acaricia o pet.
  • Escovas Fur Wizard Hurricane:
    Um kit de duas escovas que tiram pelos de móveis estofados, carpetes, roupas, banco de carro, travesseiros e onde mais você encontrar pelos perdidos pela casa 🙂

[ Veja também: Duas críticas opostas sobre FURminator ]


Luva Removedora de Pelos Mortos True Touch

A Luva True Touch é toda em tecido, que veste com conforto a mão e permite total movimento. Em sua palma, uma camada siliconada com cravos é responsável pelo serviço. E qual é o serviço?

A retirada de pelos mortos do pet de maneira rápida, confortável e afável ao pet. Enquanto você acaricia o animal, os pelos que já estão mortos são grudados literalmente na luva.

Conforme você realiza o movimento e a energia estática fica responsável por agrupar os pelos mortos do pet, o efeito na luva é de uma espécie de manta de pelos que você retira muito facilmente puxando em uma ponta.

Luva True Touch para tirar pelos
Confortável para usar e eficiente para tirar pelos mortos do pet, que nem vai se incomodar com a massagem! 🙂

A Luva True Touch é feita para ser usada com a mão direita e tem cravos na palma da mão, mas também em cada um dos 5 dedos, permitindo que você massageie com firmeza enquanto os pelos se acumulam entre os cravos.

Benefícios da Luva Tira Pelos True Touch

  • Uma vez que você retira os pelos mortos do pet, diminuem as quedas de pelo pela casa;
  • Especialmente para os gatos, a diminuição da ingestão de pelos e consequente diminuição da geração das “bolas de pelo” vomitadas;
  • Ambiente mais agradável com menos pelos.

[ Veja também: Onicotomia – Nunca faça isso com seu gato! ]

Escovas Removedoras de Pelo Fur Wizard Hurricane

A Escova Removedora Hurricane é uma solução simples e muito eficaz para tirar pelos em superfícies. Basta deslizar sobre o local a ser limpo que todos os pelos grudam no material. Nada novo para um produto que preza por essa solução, certo?

A diferença é que o Fur Wizard Hurricane vem com uma base onde você realiza a limpeza da escova. Dessa maneira você a reutiliza para sempre sem necessidade de “repor a fita” 🙂

Basta passar a escova em uma direção para tirar os pelos. Depois a base limpa a escova!

O segredo desse incrível produto está em suas micro-cerdas que agarram os pelos soltos nos locais e os seguram na escova. Essa é a simplesmente a melhor escova removedora para tirar pelos de móveis, roupas, assentos de carros e qualquer outra superfície revestida de tecido.

Sensacional, não é? O kit com essa solução completa está na Petite Sofie por apenas R$129,90 clicando aqui.


“Márcia, vem aqui, você precisa ver isso!”

via GIPHY

Fonte:
Da redação

Ração seca ou úmida: qual a melhor ração para manter o peso dos gatos?

Veterinária especialista em medicina felina, da clínica Gato É Gente Boa, de Itu, explica que tanto rações secas ou úmidas são completas e possuem todos os nutrientes que eles precisam

Cada vez mais popular, os gatos vêm ganhando espaço como animais de estimação. Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população de felinos domésticos no Brasil é de 23,9 milhões, com previsão de 30 milhões até 2022. No entanto, é fundamental que os tutores conheçam seus bichinhos e, principalmente, suas particularidades. E, na hora da alimentação, não pode ser diferente. Os gatos apresentam características nutricionais inerentes à sua espécie e, por isso, é preciso cuidado na hora de montar o planejamento alimentar.

Vanessa Zimbres é sócia-proprietária da clínica Gato É Gente Boa, a primeira do interior paulista a obter o selo Cat Friendly Practice em grau ouro

“Os gatos se originaram no deserto, ingerem pouca água, ‘aprenderam’ a concentrar a urina e são carnívoros estritos. Portanto, carboidratos têm pouco valor nutricional para eles. Em contrapartida, possuem características metabólicas que tornam suas necessidades proteicas de duas a três vezes maior do que a do cão”,

pontua a veterinária especialista em medicina felina, Vanessa Zimbres, sócia-proprietária da clínica Gato É Gente Boa

A clínica é a primeira do interior paulista a obter o selo Cat Friendly Practice em grau ouro.


[ Veja também: Meme do Gato Gordo que ajuda ONGs ]

Ração seca ou úmida, doutora?

As rações secas contêm mais carboidratos e proteína vegetal, ingredientes que, segundo Vanessa explica, não fazem parte da dieta do carnívoro. Além disso, elas contêm, em média, de 30% a 40% de carboidratos, o que pré-dispõe os felinos ao ganho de peso e ao diabetes. Já as reações úmidas, possuem em sua composição 80% água e alta concentração de proteína animal. Ou seja, a dieta úmida é menos calórica e mais nutritiva.

Dra. Vanessa Zimbres é veterinária especialista em medicina felina

“O alimento úmido é muito mais do que um petisco. E ele pode, perfeitamente, ser combinado ao alimento seco, seja na mesma refeição ou de forma alternada, desde que tenham os mesmos objetivos nutricionais. Esta é a maneira ideal de oferecer uma dieta completa e balanceada e auxiliar no controle do peso”,

explica a Dra Vanessa

Além disso, segundo ressalta, os gatos procuram diferentes experiências sensoriais, instintivamente, e, por isso, a diversidade de texturas tornam o momento de comer mais agradável para eles.

Mas é importante levar em consideração alguns fatores que dizem muito sobre as necessidades nutricionais dos animais, como idade, sexo, tamanho, estilo de vida e saúde. De acordo com a veterinária, os nutrientes fornecidos na dieta são essenciais para as funções vitais do organismo.

“Cães e gatos apresentam necessidades de ingestão de 45 nutrientes diariamente, que devem ser distribuídos entre: 52% proteína, 36% gorduras e apenas 12% carboidratos. Mas, antes de oferecer aos gatinhos, o ideal é que os tutores conversem com um médico veterinário para saber qual alimento é mais indicado para sua condição”, finaliza.

Fonte:
Assessoria

O meme do gato gordo que ajuda a financiar ONGs

Você muito provavelmente já assistiu ao viral da Cinderblock, uma gatinha gordinha fazendo o mínimo de exercício possível.

O vídeo foi sucesso imediato no Reddit e se tornou viral no mesmo instante. A gatinha Cinder apareceu em diversos canais de notícia locais e nacionais dos Estados Unidos. Tudo por causa da sua falta de compromisso com o treino.

A gatinha tem 8 anos de idade e foi entregue ao Hospital Veterinário de Northshore (Bellingham, Washington) depois que sua dona não pôde mais cuidar dela em razão de problemas de saúde de seu pai.


“A intenção era sacrificar a Cinderblock”

A dra. Brita Kiffney, veterinária residente do hospital, disse que a dona havia levado a gatinha para ser sacrificada.

Eu não consegui concordar e pedi que ela deixasse a Cinder pra mim

dra Brita Kiffney

[ Veja também: Gatificação: o que é e qual sua importância aos gatos ]

A então dona da gatinha concordou e agradeceu, já que se sentia muito sobrecarregada com a demanda de cuidados do seu pai. Cinder ficou com obesidade mórbida em razão da superalimentação que lhe era oferecida.

Foi então que Cinderblock recebeu uma segunda chance para ter uma vida saudável. Embora ela mostre que está bem fora de forma, seus novos cuidadores no Hospital Veterinário de Northshore se mostram totalmente dedicados a recupera-la.

Em outra ação beneficente, o hospital está aproveitando a fama do viral de Cinder para levantar dinheiro e financiar ações veterinárias e com parceiros sem fins lucrativos.

Tadinha, Cinder precisa de escada pra chegar ao topo de sua casinha 🙂

Arrecadações para causas nobres

O Northshore Veterinary Hospital está usando o GoFundMe para arrecadar dinheiro para os serviços prestados pela Brigadoon Service Dogs – que ajuda a cuidar de cães idosos e de todas as idades com algum problema de saúde. A ajuda ainda se estende à Whatcom Humane Society – uma ONG que desde 1902 advoga para o bem-estar dos pets – e também à Alternative Humane Society, Old Dog Haven e à Project Homeless Connect – que por sua vez são projetos destinados às pessoas vítimas de violência doméstica e agressão sexual.

Quem diria que a jornada pela perda de peso da Cinderblock desencadearia uma corrente tão forte de amor. Que os profissionais e pessoas envolvidas nesse projeto consigam amplificar as ações e inspirar outros, como a gente por aqui.

Acompanhe aqui o Nortshore Veterinary Hospital e a Cinder no Facebook 🙂

Fonte:
PETMD

Onicotomia: não faça isso com seu gato!

Onicotomia é a cirurgia de retirada das garras dos gatos. Pois é, você entendeu certo. Diferente de aparar as unhas dos gatos, a onicotomia é a remoção completa de suas garras.

A cirurgia é ilegal no Brasil, mas infelizmente há quem busque meios para fazê-la com os bichanos. E essa violência tem o intuito de responder a uma questão:

Vale tudo para fazer o gato não arranhar seu sofá?

As garras para os gatos não são tão dispensáveis como as unhas são para as pessoas. Diferente da maioria dos mamíferos, os gatos são digitígrados. Esse palavrão significa que eles literalmente “andam sobre os dedos”.

As garras são usadas para dar todo equilíbrio corporal ao gato. Os músculos, juntas, tendões, ligamentos e nervos das suas costas, ombros patas e pernas são projetados para apoiar e distribuir o peso sobre os dedos quando ele anda, corre ou escala.

As garras são da essência do felino. Retirá-las é o mesmo de cortarmos nossos pés.

Por isso o ato de arranhar é tão comum entre os felinos. Arranhar serve para alongar muito além dos músculos das patas. Essa é a única forma que um gato tem para exercitar, alongar e tonificar a musculatura das costas e ombros.

Então remover as falanges distais dos dedos (onicotomia) transforma drasticamente a harmonia, o design das patas dos gatos. Isso faz com que o ângulo com que pisem seja alterado e ainda promovam dores semelhantes aos nossos incômodos com sapatos menores que nossos pés.

Qual é o custo para os gatos de uma cirurgia dessas?

Infelizmente as complicações vão bastante além das físicas. Os problemas psicológicos também começam a aparecer em gatos que sofreram com a cirurgia de remoção de suas garras.

Complicações físicas:

  • Dor intensa e aflitiva;
  • Danos ao nervo radial;
  • Hemorragia;
  • Lasquinhas de ossos podem impedir a cicatrização;
  • Dores crônicas nas costas e juntas a medida que os músculos vão enfraquecendo paulatinamente;
  • As garras podem até crescer novamente, mas deformadas por dentro da pata, causando mais sofrimento ao gato.

Complicações psicológicas

  • Alguns gatos entram em estado de choque;
  • Mudança imprevisível de personalidade;
  • Sem as garras, começam a usar os dentes para agredir;
  • É possível que, já que não podem marcar local com as unhas que não mais existem, o farão com urina;
  • Possível aversão definitiva ao uso da caixa de areia. Devido a associação da dor ao utilizar a caixa, vão preferir urinar e defecar em local mais confortável, mas certamente menos indicado, como carpetes e camas.

A ironia de tudo isso é que os tutores que optam pela terrível cirurgia, tem por objetivo uma vida mais confortável com os gatos, já que em tese não vão mais destruir os móveis da casa. Só que na realidade, acabam entregando seus gatos a abrigos ou simplesmente abandonando-os por consequência dos problemas comportamentais desenvolvidos por causa da onicotomia.

Os problemas aumentam com gatinhos sem garras

No Brasil a prática é proibida

Mas nos Estados Unidos ela é legal. No entanto, lá isso também pode mudar em breve. No estado de Nova York a mudança da lei já começa a ter fôlego. No último dia 4 de junho (2019), legisladores nova-iorquinos votaram para tornar a onicotomia ilegal. O próximo passo é a sanção do governador.

Em contraste com a crescente opinião pública, a Sociedade de Medicina Veterinária de Nova York defende que a prática deveria ser uma opção permitida, argumentando que do contrário, mais abandonos e abatimentos de gatos serão registrados.

A remoção das garras dos bichanos já é ilegal em diversos países na Europa, como a Inglaterra, assim como também em Israel, Austrália e Nova Zelândia. Aqui no Brasil a prática é proibida pelo Cons. Fed. de Medicina Veterinária.

Larry o gato famoso do Reino Unido – mascote da Downing Street

[ Veja também: 6 dicas de como introduzir novo gato em casa ]

Como Reino Unido e EUA tem cultura tão distinta em relação aos gatos?

“A principal diferença é que nos EUA, os gatos são mantidos exclusivamente em ambientes fechados”.

Sarah Ellis, especialista em comportamento felino da International Cat Care

Já na Inglaterra, cerca de apenas 20% dos gatos vivem completamente fechados. Pesquisas também concluíram que a maioria dos europeus tratam de gatos com mais liberdade, permitindo passeios ao ar livre.

Judd Birdsall, um ex-diplomata dos EUA que hoje vive no Reino Unido percebeu isso prontamente.

“Ao passear por um vilarejo no Reino Unido, você vê muitos gatos do lado de fora. Não consigo me lembrar de ter tido essa visão nos EUA”,

disse Birdsall à BBC

Especialistas afirmam que americanos que vivem em cidades tem maior probabilidade de manter os gatos “presos” em casa porque em geral moram em altos prédios. Já os americanos de áreas rurais procuram evitar o contato dos felinos com predadores naturais como coiotes e lobos.

Mas também há uma diferença cultural, observa Birdsall.

“Para os americanos, é uma questão de liberdade e conveniência – o direito à liberdade de tomar decisões em termos de como você cria seu gato; e conveniência, porque uma vez que você remove as garras, você não precisa se preocupar mais com você ou com a mobília arranhada.

Já na Inglaterra, a consideração de bem-estar do gato tem peso maior sobre a preocupação de conveniência e liberdade do dono. Por isso é impensável tirar suas garras na Europa”.

Judd Birdsall
As garras permitem que o gato fortaleça os músculos das costas e dos ombros

[ Veja também: É verdade que mulher grávida precisa se afastar de gatos? ]

Existe alguma situação em que a onicotomia deveria ser permitida?

Como defendido pela Sociedade Veterinária de NY, algumas entidades são contra a proibição da retirada das garras dos gatos (onicotomia). Eles defendem que ela deveria ser permitida como último recurso, antes do abandono do bichinho.

No Reino Unido, a veterinária Gunn-Moore disse que só realizou o procedimento em dois gatos. Isso porque uma cliente idosa precisou ficar em um asilo que não permitiria a entrada dos animais se não se tivesse a garantia de que não arranhariam a mobília.

Os gatinhos eram acanhados para serem realojados e o lar de idosos não aceitou outra opção. Então Gunn-Moore requisitou permissão para realizar o procedimento junto ao Royal College of Veterinary Surgeons. O órgão que representa os veterinários no Reino Unido permitiu que o procedimento fosse realizado nesse caso específico.

“O argumento foi para impedir que os dois gatos fossem sacrificados e que a mulher perdesse seus bichinhos. Mas a operação me deixou incomodado o tempo todo”,

disse Gunn-Moore

A retirada das garras dos gatos tem que ser um último recurso absoluto, defende a veterinária.

No entanto, é muito triste muitas pessoas buscarem essa solução porque não se dão ao trabalho de treinar seus gatos – ou de não quererem arranhadores distribuídos em seus apartamentos.

Treine seu gato a usar arranhadores e evite estragos na mobília

“O normal é que os gatos arranhem. É dessa forma que eles marcam seu território, com seu cheiro e marcas de garras”,

diz Sarah Ellis

Para os gatos, arranhar também significa manter as unhas afiadas e alongar os músculos das costas. Os donos de gatinhos podem treinar seus animais a usar os arranhadores. O ideal é que, se escolhidas as torres, que tenham ao menos a altura do gato. Assim eles podem se esticar contra a peça.

Mas como cada gato é diferente entre si, eles têm preferências também distintas pelo tipo de material. Se a torre é horizontal ou vertical, por exemplo.

É preciso também pensar sobre a localização. As torres verticais devem ser posicionadas em locais proeminentes, onde eles adoram marcar seus territórios.

Tipos de arranhadores para gatos

Quer receber dicas especiais de como VIVER BEM COM GATOS?
Clique no banner abaixo:


Como é com seus gatinhos? Alguma vez você pensou em fazer a retirada das garras do seus bichinhos? Compartilhe suas experiências e também o que você pensa a respeito com a gente nos comentários abaixo.

Fonte:
BBC Brasil
Resgatinhos

É verdade que mulher grávida precisa se afastar dos gatos?

Não. Você não precisa se afastar de seus pets durante a gravidez. No entanto, é melhor você não limpar os banheiros dos gatos.

O perigo da toxoplasmose

O cocô do gato pode carregar um parasita que causa infecção chamada toxoplasmose. Alguns pássaros e outros animais, bem como comida crua ou mal cozida também podem levar o parasita.

A toxoplasmose não é uma doença grave, mas se pega durante o início da gravidez, pode provocar aborto do feto. Felizmente, as chances de se contrair toxoplasmose durante a gravidez são baixas. Se você já teve antes, não pegará novamente. E mais, se você convive com gatos há tempo, existe a possibilidade de você já ter contraído e criado imunidade à doença.

Grávida com gatinho british shorthair
Grávida com gatinho british shorthair

Estou grávida e tenho gatos em casa!

Se você está grávida e tem um gato, apenas peça para que outra pessoa cuide do banheiro dele e faça essa limpeza diariamente por você. Agora, claro, se você simplesmente não tem com quem contar para essa tarefa, proteja-se com luvas ao lidar com a sujeira e assim que terminar o trabalho, lave bem suas mãos já na sequência.

Tendo essas precauções, é provável que já seja suficiente para você se manter afastada da doença, mesmo se há um gato infectado em casa. De qualquer forma, se você ficar muito preocupada, leve o felino ao vet para realizar um teste e tratá-lo em caso de infecção.

Grávida lendo com gatinho no colo
Você não precisa deixar de curtir os momentos gostosos com seu gato e seu bebê 🙂

O que fazer com meus bichanos?

Outra saída é, se identificado o gato com toxoplasmose, você deixá-lo em um gatil por seis semanas até que ele não seja mais infeccioso.

Durante a gravidez, não são feitos testes que identifiquem a toxoplasmose. Então se estiver preocupada com a possibilidade de ter sido exposta ao parasita, converse com seu obstetra e faça um exame. Assim, você terá a resposta se está imune ou não à doença.

[ Veja também: Bebedouro vs Tigelas para gatos. Qual é o melhor? ]

Não é só a toxoplasmose!

Salmonela e E. coli são outras doenças que gestantes podem pegar pelo contato com animais domésticos, como cães e gatos. A salmonela é um tipo de bactéria que provoca infecções, muitas vezes seríssimas. É raro que faça mal direto ao bebê, mas seus sintomas – febre alta, vômitos, diarreia e desidratação – podem provocar um parto prematuro ou até aborto espontâneo.

Animais vacinados e bem tratados raramente apresentarão risco à família. É importante ficar atenta também à higiene de um modo geral.

Considere, por exemplo, que as pessoas que circular em sua casa podem pisar em cocô na rua e levar para casa. Assim sendo, procure manter sua casa sempre bem limpa e arejada.

E dessa forma, estando grávida, você não precisa se afastar de seus gatos 😉


Você está grávida? Alguma preocupação extra passa por sua cabeça? Ou você já passou por essa fase? Como foi pra você?

Conte-nos sobre sua experiência nos comentários abaixo!

Fonte:
BabyCenter.co.uk

Gatificação: o que é e qual sua importância?

“Gatificação” é um termo criado para designar um ambiente rico e adequado a responder aos estímulos naturais dos felinos.

No entanto, nós desejamos elevar esse conceito a um patamar mais interessante: prover espaços que sejam deliciosos para os gatos e também para que você desfrute, ou seja, harmonia ao estilo e decoração de sua casa.

Para viver com qualidade, seu gato precisa de um ambiente onde ele possa se exercitar, arranhar e dominar determinados locais, dormir em paz, brincar de predador, pular, escalar e proteger seu território, olhar o horizonte como um verdadeiro rei do pedaço.

Não esqueçamos que os gatos também gostam da presença de seus tutores no centro de tudo que fazem!


[table id=19 /]


Quando organizamos o espaço de nossa casa afim de servir a gatos e humanos (gatificação), devemos considerar a satisfação total de todos os envolvidos.

Separamos as categorias de produtos para a realização da gatificação. Assim você compreende melhor quais são adequados ao comportamento do seu gato e também ao ambiente de sua casa.

[ Veja também: Como introduzir novo gato em casa: 6 DICAS ]

Arranhadores

Disponibilizar arranhadores pelo ambiente de sua casa vai proporcionar os seguintes benefícios aos felinos:

  • Mantém as garras saudáveis e limpas.
  • Alonga, flexiona e irriga uma grande varidade de músculos do gato.
  • Marca território e se comunica com outros gatos do ambiente.
  • Desestressa.
  • Acima de tudo: arranhar simplesmente é uma delícia para os bichanos. 🙂
Arranhador com caminha Tomtom Pet - Petite Sofie
Arranhador em sisal com caminha
Casinha com Arranhador Carlu Pet
Casinha com Arranhador Carlu Pet

Brinquedos com Catnip

Brincar de predador com brinquedinhos recheados de catnip é quase que uma “terapia” aos gatos.

  • Estimula mentalmente os felinos mais quietos.
  • Acalma os bichanos mais agressivos.
  • Catnip relaxa a musculatura interna dos gatos, auxiliando de maneira global até na digestão e funções intestinais.
  • Desestressa.

Prateleiras de parede e de janela

Finalmente, um dos produtos mais utilizados e importantes para a gatificação do ambiente: prateleiras de parede e de janela.

Estar em posição de dominância é importantíssimo para o gato satisfazer seu instinto mais característico. A prateleira de parede permite que o gato veja o movimento de um ponto superior. Já a prateleira de janela promove a visão externa da casa/apartamento. Em ambas, de maneira segura o gatinho pode curtir o horizonte e a movimentação de pássaros e outros bichos.

A confiança do gato, atribuída ao ponto superior de visão, faz com que ele possa descansar mais tranquilo. Como os gatos passam mais de um terço do dia dormindo, a qualidade de vida oferecida por esses produtos é marcante e significativo.

Prateleira suspensa Gatton na Petite Sofie
Do alto da prateleira, o gato se sente seguro e fica tranquilo 🙂

Por outro lado, as prateleiras enriquecem o ambiente de sua casa. As opções interagem com a decoração, transformando o ambiente também para o humano!

Catarina e Petruquio na Homecat Gatton
Prateleiras discretas e que harmonizam com a decoração da casa
Deitadão de boa em frente à janela
A Catbed se ajusta às janelas. Seu belo design também se ajusta ao ambiente

Você tem um espaço “gatificado” em sua casa? Conte sua experiência nos comentários abaixo e compartilhe essas dicas com sua amiga, ou amigo, gateiro 🙂

Assista o video até o fim e saiba quem indica as Prateleiras Gatton 😉

Fontes:
The benefits of scratching
The Cat People

Bebedouro automático vs Tigelas para gatos: qual é o melhor?

Antes, vamos resumir o que vamos tratar nesse post.
Pontualmente:

  • Prós e contras de usar tigela para água com o gato
  • Prós e contras de um bebedouro automático para seu gato

Dessa maneira, nossa intenção é que você fique completamente esclarecida(o) para tomar a decisão de comprar essa ou aquela fonte, essa ou aquela tigela. 😉

Você prefere utilizar tigela para dar água ao seu gato?

Não deixe que o preço nuble sua decisão. Há mais o que considerar! Veja:

Por causa da importância e da função dos bigodes nos gatos, o mercado busca soluções especiais aos felinos. Você fica de saco cheio sempre que tem que limpar os potinhos dos gatos? Quer evitar que seu gatinho sofra com os rins? A ingestão de água é fundamental para todos os seres vivos, mas como pets, os gatinhos precisam de atenção especial quanto a isso.

Eis nosso comparativo:
Bebedouro Automático VS Tigela para a água do seu gato

[table id=18 /]

Água corrente sempre terá a preferência do seu felino 😉

O que consideramos para as notas acima:

Conforto para o gato

Dependendo da “boca” da tigela, beber água para o gato pode ser desconfortável. Já a altura do bebedouro automático é confortável para o pet. Em geral, entre uma tigela com água e um bebedouro automático, esteja certo que o gato vá preferir a água corrente de uma fonte automática.
[ PONTO PARA O BEBEDOURO AUTOMÁTICO ]

Conforto para você

O que julgamos ser o conforto aqui, é o fato de você precisar limpar. O ponto positivo da tigela é que ela é muito mais fácil e prática para higienizar. Então a rapidez conta como ponto positivo à tigela. No entanto, o bebedouro automático requer limpeza muito menos frequente. Mesmo exigindo mais esforço quando a limpeza é feita, o fato de não precisar fazê-la todo dia é ponto positivo.
[ PONTO PARA O BEBEDOURO AUTOMÁTICO ]

Risco à saúde do pet

Onde está o risco para saúde do pet? No material e no cuidado com a limpeza. Tigelas de plástico são as piores escolhas. Ao longo do tempo, realizando a limpeza frequente do plástico, a criação inevitável de ranhuras faz com que, somando-se à água parada, possa-se criar bactérias e/ou fungos que prejudiquem à saúde do animal. O bebedouro automático, mesmo com estrutura plástica, tem a vantagem da água corrente e do filtro. A oferta de água é sempre fresca e filtrada, excelente à saúde de seus gatos.
[ PONTO PARA O BEBEDOURO AUTOMÁTICO ]

Fragilidade

Tigelas são feitas de diferentes materiais. Em média, no entanto, o uso delas para água com seu gato tem boa resistência. Alguns felinos tem o interesse de botar a patinha na água (seu gato faz isso?) para entender “onde está a água”, já que parada, ele não a vê! Nessa hora, dependendo do gato, acidentes com as tigelas acontecem. O mesmo efeito pode se dar também com o bebedouro automático, mas por ser bem mais pesado, costuma não ceder. Já o maior risco da fonte de água é ela ser ligada na tomada SEM ÁGUA. Por isso nem mesmo a fonte é 5 estrelas. 🙂
[ PONTO PARA O BEBEDOURO AUTOMÁTICO ]

oops, a curiosidade molhou o gato

Custo

Comprar uma tigela para seu gato vai ser sempre mais barato. Desconsiderando a relação custo/benefício, um bebedouro automático para seu gato sairá sempre mais caro que uma tigela. Por isso…
[ PONTO PARA A TIGELA ]

Durabilidade

Como quase tudo, quanto mais você cuida, mais dura. Nessa hora consideramos ponto para a tigela por ser mais simples (leia-se sem qualquer tecnologia). Se supormos o mesmo cuidado entre tigela e bebedouro automático, é natural que a fonte dure menos por apresentar mais pontos de atrito (encaixes) e usar tecnologia (bombinha). Ainda assim, se cuidada com frequência, atenção e carinho, tanto tigelas quanto fontes automáticas podem durar por anos!
[ PONTO PARA A TIGELA ]

Encontre Tigelas e também Bebedouros Automáticos na Petite Sofie.
Clique aqui e compre com conveniência e segurança

O comparativo acima é baseado em experiência própria, de amigos e clientes mais próximos. Esperamos poder ajudar você com qualquer dúvida que tinha até chegar aqui.

Mas peraí.. você concorda com os pontos levantados? Discorda?Adoraríamos ouvir a sua opinião!

Facebook da Petite Sofie / Instagram da Petite Sofie


Aproveite e também confira nosso belíssimo comparativo entre comedouros para ajudar você a escolher o do seu pet. Clique aqui!

Mulher dedica a vida a resgatar gatinhos

Desde quando largou a universidade, Hannah Shaw tem dedicado sua vida resgatando gatinhos. Com 28 anos de idade, ela se auto intitula “guerreira dos gatinhos recém-nascidos”, porque tem foco no cuidado de gatinhos recém-nascidos abandonados, que acabariam mortos nos abrigos da capital americana Washington. Pelo menos algumas centenas de gatinhos ela já contabiliza ter salvado nos últimos oito anos atuando.

Guerreira dos gatinhos

Shaw revelou que sua paixão pelos animais começou quando ela tinha 12 anos. Desde então, deixou de comer carne e se envolveu em diversas campanhas de proteção de animais de várias espécies – desde animais em fazendas até grandes felinos em zoológicos. O cuidado com os gatinhos, especificamente, começou há quase oito anos após resgatar um filhotinho em uma árvore. Ela o levou para casa, o chama de Coco e o adotou.

Esse incidente fez com que Hannah desse mais atenção aos gatinhos na região de sua vizinhança. “Depois de resgatar Coco, eu comecei a perceber que haviam vários gatinhos nas redondezas”, diz ela. “Também comecei a receber ligações de pessoas que encontravam gatos e me ligavam pedindo auxílio de como lidar”. E dessa forma, rapidamente Shaw começou a aprender mais sobre os gatos e ficar atenta ao seu comportamento.

Compromisso felino

Hannah diz que o trabalho de resgatar os gatinhos no início de seus 20 anos de idade foi um desafio especial, pois ela trabalhava em uma escola. “Eu literalmente escondia pequenos filhotes na minha camiseta e os alimentava no banheiro para que ninguém os percebesse!” Mas agora ela trabalha exclusivamente para uma “entidade sem fins lucrativos que cuida dos animais”, ela pode levar os gatinhos para seu escritório sem problemas.

Além de suas missões de resgate, Shaw investe grande parte de seu tempo levantando questionamentos e informações acerca dos problemas que os filhotes enfrentam nos abrigos e ONGs para animais órfãos. “Quase todos os gatinhos recém-nascidos que encontro nos abrigos, são nascidos de gatos não esterilizados e livres nas ruas. A maioria das pessoas que encontram gatinhos recém-nascidos nas ruas e entregam às ONGs acham que estão seguros nos abrigos, mas quase sempre são imediatamente mortos”.

O problema é maior do que parece

Muitas pessoas são surpreendidas ao saber que os gatinhos sofrem nos abrigos e ONGs. “Os abrigos geralmente não têm condições estruturais para cuidar de gatinhos – especialmente os recém nascidos – porque precisam de um cuidado quase que de 24h. A grande maioria dos abrigos e ONGs americanas entendem que os filhotes não podem ser tratados, então aplicam eutanásia imediatamente neles”.

Qualquer pessoa pode ajudar

Shaw diz que existem diversas maneiras com que as pessoas podem colaborar. De início, ela sugere que as pessoas mantenham contato com os abrigos e ONGs, então quando receberem gatinhos neonatais, as pessoas podem saber e retirá-los para cuidar. Mas ela aponta que é muito importante saber se os gatinhos são de fato órfãos. “Às vezes as pessoas acham que estão fazendo certo ao retirar um gatinho tão novinho do abrigo. Mas é fundamental para a saúde do recém-nascido que esteja junto da mãe ao menos nos primeiros 30 dias de vida”

Adotar um gatinho

Adotar um gato recém-nascido é muito semelhante a ter um filho. “Quando eu penso se posso adotar um gatinho, então a primeira coisa que preciso fazer é olhar para o calendário e examinar as próximas semanas. Preciso ter certeza de que estarei disponível”, diz Hannah. “Defino meu alarme a cada duas ou três horas – mesmo durante à noite – para checar se está tudo certo com o filhote. É de fato um grande desafio, se você escolher adotar um recém-nascido”

 

Então quando os gatinhos saem da fase “neonatal”, Shaw os põe para adoção. Surpreendentemente, ela não sente aquela dor no coração quando se despede deles. “A despedida é uma parte divertida para mim, porque a razão de fazer o que faço é para que esses gatinhos não tenham vida tão curta”, diz Hannah. “Quando eles chegam a um abrigo ou são órfãos nas ruas, eles simplesmente não tem chance de chegar a se tornar um gato adulto e saudável em uma casa”.

“Não há muito a dizer… ‘tchau, boa sorte, você mandou bem, agora cai fora da minha casa!”

Mas antes de ela dar o fora neles, Hannah os batiza com nomes criativos – como Gadzooks e Tofurkey. Você pode acompanhar o trabalho da Hannah Shaw em seu instagram @Kittenxlady.

Acompanhe as novidades da Petite Sofie pelo instagram também! Siga @PetiteSofie 🙂

Fonte: Oddity Central

Areia sanitária para gatos: por que escolher bentonita?

Adotou um gatinho e agora precisa organizar o banheiro dele? Quando o assunto é Areia Sanitária, diversas são as opções no mercado, então por que comprar a Areia Bentonita para seu gatinho?

Ao preparar o banheiro de seu gatinho, fique atenta à qualidade do granulado.

Granulados são boas opções de areia sanitária para gatos?

Os granulados são tipos de areia bastante encontrados no mercado. São compostos por granulados escuros, marrom ou acinzentados e tem excelente relação de custo-benefício.

O xixi despejado pelo gato formam torrões que são fáceis de serem coletados com uma simples pazinha. Dependendo do porte do gato, a troca do granulado deve ser realizado semanalmente.

Em geral, o granulado não gruda na pata do animal então pouco provável que seja feita muita lambança pela casa, o que é ótimo!

Mas por que comprar Areia Bentonita?

Além do baixo nível de poeira que essa Areia Sanitária para gatos promove, os grãos de Bentonita Na+, que compõem o produto, absorvem praticamente toda amônia eliminada nas fezes e urina dos gatos, cancelando quase que imediatamente a liberação de odor e não permitindo que bactérias se formem na caixa de areia.

Uma grande vantagem da Areia Sanitária para gatos na Petite Sofie, é seu alto rendimento. O torrão que se forma fica unido e conciso, de maneira a não se esfarelar e prejudicar o desempenho geral da areia depositada na caixa.

Você encontra a Areia Sanitária para gatos na Petite Sofie.

Kit Areia Bentonita 20kg na Petite Sofie

Kit de areia bentonita 10kg na Petite Sofie

 

 

 

 

 

 

 

 

O melhor custo benefício para você cuidar da higiene do seu gatinho. Pagamento em até 6x sem juros e envio imediato.