Mulher queria fazer filho de 1 ano falar “mama”, mas é surpreendida quando é o cachorro quem fala! [VIDEO]

Para um bebê, dizer “mama” é um grande avanço em sua vida. Não mostra apenas a afeição do bebê para a pessoa mais importante de sua vida, mas é também um sinal de grande desenvolvimento. A maioria dos bebês conseguem dizer “mama” por volta dos 12 meses de vida.

Uma mãe, no entanto, chamada Andrea Diaz-Giovanini ficou um tanto quanto surpresa quando tentava fazer seu filho – Sam – falar mama.

Sam, um bebê de 1 ano e Patch, seu cachorrinho de estimação

Andrea tenta fazer seu filho falar “mama”

Em um video que captura o flagrante, Andrea está sentada em sua cadeira servindo comida a Sam. Na altura de seu joelho estão Sam e Patch, um Shepherd Australiano. Ela pede para que Sam diga “mama”. Já seu filho se mostra relutante e apenas a encara, focando seu rosto e o garfo em sua mão.

Patch começa a ficar excitado enquanto olha para a comida na mão de Andrea

Parado ao lado de Sam, Patch está louco de vontade de lascar uma mordida na comida que Andrea quer oferecer a Sam. Enquanto Andrea tenta fazer Sam falar “mama” para receber a comida. Enquanto isso, Patch, que é treinado, fica cada vez mais animado e tenta vocalizar o que ela quer para ele – Patch – receber a garfada!

Então o inimaginado acontece

Finalmente, Patch solta um perfeito “mama”, que causa grande surpresa em Andrea que reage instantaneamente. Patch continua a dizer “mama” enquanto fica na expectativa de receber a comida. De repente Sam percebe que Patch está tentando “roubar” a sua comida como prêmio e empurra o cachorro pra longe, que causa ainda mais surpresa à cena. Todos riem!

Sam empurra Patch após ele conseguir “cumprir a sua missão” 🙂

Cães podem falar?

De acordo com a Scientific American, a habilidade dos cães em falar é mais uma forma de imitação. O cachorro ouve o som do dono – ou que alguém faça – e tenta reproduzir usando seu latido. Exatamente como o verificado no video do Patch aqui. O principal problema com isso é que as cordas vocais de um cão não são desenvolvidas como são as nossas, bem como a articulação de sua boca e línguas impedem a reprodução de palavras ou sons mais complexos. Eles são bem limitados nas possibilidades em “falar”.

A habilidade para “falar” de um cão indica muito sobre o nível de sua inteligência, que nós não costumamos atribuir aos animais ditos irracionais. E por mais inteligente que um cachorro possa ser, eles ainda são muito limitados em suas habilidades de falar como nós, seres humanos.

[ Veja também: Cães entendem o que falamos ]


Patch teve recompensa com petiscos por seus esforços em falar

Quanto a Patch, alguns que viram o vídeo ficaram preocupados porque ele não foi recompensado por suas incríveis habilidades vocais. Mas Andrea foi rápida em garantir a todos que Patch recebeu os petiscos que ele merece e até postou um vídeo de acompanhamento para mostrar isso.

Veja o vídeo da incrível façanha de Patch abaixo:

Video de Andrea Giovanini de seu filho Sam e seu cachorro Patch

Conheça aqui brinquedos interativos que promovem inteligência e obediência dos cães

Fonte:
RonProject

Seu cachorro puxa durante o passeio? Existe solução!

A coleira peitoral easy walk (anti-puxão) foi desenvolvida para desencorajar o cachorro a puxar você durante o passeio.

Ao pensar em passear com o cachorro, a emoção que vem de pronto – tanto para você quanto para o cachorro – é de uma atividade prazerosa, certo? Pois é, sabemos que para muitos tutores, isso não é verdade.

Só é engraçado pra quem está atrás da câmera, não é? 🙂

Passear com o cachorro é fundamental

A necessidade de o cachorro sair para tomar novos ares é importantíssimo para sua saúde física e mental. Além de fazer circular o sangue, o contato com novos cheiros e explorar lugares diferentes dos usuais, são grande alívio ao estresse do animal.

No entanto, é o dono que deve levar o cachorro para passear, não vice-versa. Cães que puxam demais acabam transformando o passeio em um verdadeiro transtorno para os humanos. Ainda mais quando o cachorro é grande e a pessoa pequena. 🙂 Se esse é o seu dia-a-dia, sabe bem do que estou falando!

Talvez você não saiba ainda, mas existe tecnologia para simplesmente desencorajar o cachorro a puxar durante o passeio. O nome dela é: Peitoral Easy Walk (ou Anti-Puxão em bom português).

A solução é mais simples do que parece. Nas coleiras peitorais anti-puxão, o engate da guia fica no meio do peito do cachorro. Essa sutil diferença para as peitorais que tem a guia presa na parte das costas do animal, desencoraja o animal a puxar.

[ Veja também: 15 Benefícios – provados – ao adotar um cachorro ]

Coleira Peitoral Anti-Puxão
A Coleira Peitoral Anti-Puxão é segura e confortável ao cachorro. Em hipótese alguma ela machuca o animal durante o passeio.

Mas como a Peitoral Anti-Puxão funciona na prática?

O cachorro acaba desistindo de puxar porque quando ele força avançar com muito ímpeto para uma direção, automaticamente ele é forçado a ir para o lado.

Devido ao engate no meio do peito, a força que o cachorro exprime para avançar é usada “contra” ele mesmo fazendo-o ir para o lado, ou seja, desvia o caminho desejado. Isso faz com que ele pare de avançar, já que toda vez que o fizer, uma “força chata” vai desviar do caminho desejado.

Esse mecanismo simples e muito inteligente tem função psicológica muito eficaz para o cachorro. Após algumas tentativas de puxar e ter a sua própria força usada contra si, o cão aprende que não deve puxar.

Coleira Peitoral Easy Walk Cachorreiros
A Peitoral Easy Walk é ótima para você ter total controle do dog

A Peitoral Anti-Puxão funciona para cães de todos os portes?

O comportamento de puxar durante o passeio pode ser mais flagrante para quando o cachorro é grande, como um Golden Retriever, Pitbull ou Labrador. Mas cães pequenos também podem ser bem nervosos durante o passeio, e sim, a coleira peitoral easy-walk é indicada a ele também.

Onde posso encontrar as Peitorais Easy-Walk?

A Petite Sofie dispõe de uma série de peitorais anti-puxão e também de guias anti-shock para fazer combos lindos e confortáveis para seu próximo passeio.

Elas são apresentadas nos tamanhos P, M ou G em diversas estampas.

Peitoral Anti-Puxão na Petite Sofie: feito para o seu cachorro, não importa o porte dele!
Os tamanhos são adequados a todos os portes de cachorro.

Você já passeia com seu cachorro com uma Peitoral Anti-Puxão? Compartilhe de sua experiência conosco nos comentários abaixo!

6 Comandos rápidos e 5 livros para adestrar seu cachorro

Sabe, talvez seu cachorro não precise de um treinador profissional. Por outro lado, é importantíssimo que o cachorro tenha boa educação. Acompanhe aqui como você mesmo pode adestrar seu cachorro.

Comando para adestrar cachorro

Em geral, os cães não apresentam problemas graves de comportamento – principalmente agressividade – que aí sim o trabalho de um profissional de treinamento é importante. Já cães muito agitados também podem oferecer dificuldades para treinar. Nesses casos um adestrador profissional pode ser de grande valia também.

Se você julga que tem paciência e disposição para treinar você mesmo o seu cachorro, pegue essas dicas do mínimo necessário para você o adestrar economizando. Comandos simples e primordiais para uma vida em harmonia com seu cão:

  • SENTA
    Comando importante para manter o cachorro calmo ao receber visitas. A prática deve ser sempre que abrir a porta e sempre que o cachorro quiser alguma coisa, como brincar ou comer;Como treinar:

    • Segure um petisco bem perto do nariz do cachorro;
    • Levante sua mão, fazendo com que a cabeça do cachorro acompanhe o petisco fazendo sentar;
    • Uma vez que ele estiver na posição sentado, diga “senta” e o dê o petisco. Faça carinho para ele entender que acertou.
      Repita essa sequência por alguns minutos todo dia até que seu cachorro aprenda. Então peça para seu cachorro sentar antes da hora de comer, quando vocês estiverem saindo para caminhar e durante outras situações em que você deseja que ele fique calmo e sentado.
  • DEITA
    Semelhante ao comando de sentar, o “deita” é indicado a situações como em um bar ou em reuniões com a família. A prática deve ser sempre no intervalo do jornal à noite. Você pode definir para que ele fique deitado durante o intervalo comercial do programa. Conforme progride, você pode procurar que o comando dure durante todo o programa.Como treinar:

    • Encontre um petisco particularmente apreciado pelo cachorro. Tem que ser um que ele goste muito!;
    • Segure o petisco com sua mão totalmente fechada;
    • Esfregue a mão fechada com o petisco no chão, em frente ao cachorro. Ele vai seguir sua mão com o focinho, então encoraje-o a deitar a barriga;
    • Uma vez que ele estiver na posição deitada, diga “deita” então dê o petisco e faça carinho.
      Repita essa sequência todos os dias. Se o cachorro tentar sentar ou avançar até sua mão, diga “não” e afaste a mão com o petisco. Não pressione o cachorro a ficar na posição, apenas encoraje-o a ficar deitado na posição correta. Sempre mostre que você aprecia quando ele acerta, dando carinho.
  • FICA
    Sabe aquelas situações que você precisa abrir a porta de casa (ou carro) e o cachorro deseja sair correndo? Esse é o comando para você ter controle sobre essas situações. A prática deve ser sempre que abrir a porta da rua. Você pode mesclar entre os comandos “senta” e “fica”. Esse comando pode ser muito bem aproveitado quando você deseja fazer fotos com seu modelinho :)Como treinar:

    • Primeiro, use o comando “senta”;
    • Então, com sua mão espalmada na frente dele, diga “fica”;
    • Dê alguns passos para trás e aguarde por alguns segundos. Premie seu cachorro com um petisco e muito carinho se ele ficar;
    • Gradualmente vá aumentando o número de passos que você dá para se distanciar dele antes de dar o petisco;
    • Sempre dê carinho e um petisco se seu cachorro ficar. Mesmo que por alguns poucos segundos.
      Esse é um exercício de autocontrole para seu cachorro, então não estresse e pressione se levar algum tempo para ele dominar o comando. É mais difícil para filhotes e cães que tem muita energia, já que eles querem mesmo é se mexer e não ficar parado.

Como adestrar seu cachorro

  • LARGA
    Comando importante para evitar intervenção mais bruta quando o cachorro pega algo que não devia. A prática deve acontecer com os brinquedos do cão. Seja ao jogar bolinha ou para terminar a brincadeira de cabo-de-guerra. Se seu cachorro apresentar muita agressividade e tentar lhe morder, busque um profissional.Como treinar:

    • Coloque um petisco em cada mão;
    • Mostre ao cachorro uma das mãos, fechadas com o petisco, e diga “larga”;
    • Deixe-o lamber, cheirar, mexer com a pata e até latir para pegar o petisco. Você precisa ignorar;
    • Assim que ele parar de tentar, dê a ele o petisco que está com sua outra mão;
    • Repita essa operação até que seu cachorro desista da “primeira mão” com o petisco quando você disser “larga”;
    • Na sequência, somente dê ao cachorro o petisco após ele desistir da mão com o petisco, se afastar e olhar pra você
      Uma vez que seu cachorro se afasta consistentemente da mão com o petisco e fazer contato visual quando você diz o comando, ele está pronto para avançar para nova fase.Para isso, use dois petiscos diferentes: um “normal” e outro particularmente preferido pelo cachorro (especial).
    • Diga “larga”, coloque o petisco normal no chão e cubra com sua mão;
    • Espere até seu cachorro ignorar o petisco e olhar para você. Então recolha o petisco normal do chão e dê o petisco especial junto com muito carinho imediatamente.
    • Assim que ele pegar, coloque o petisco normal no chão… mas não completamente coberto pela sua mão. Em vez disso, segure o petisco com a mão um pouco acima. Com o avanço do treinamento, mova gradualmente sua mão cada vez mais longe do petisco, até mais ou menos 15cm de altura.
    • Agora você já pode tentar a praticar de pé. Siga os mesmos passos descritos acima, mas se o cachorro tentar pegar o petisco normal no chão, cubra com seu pé.
      Não acelere todo esse processo. Lembre-se, você está exigindo bastante de seu cachorro. Se avançar no processo não está surtindo efeitos, você percebe que seu cachorro ainda não está entendendo, volte alguns passos e reinicie a fase anterior até que você perceba que pode avançar.
  • NÃO
    O comando é simples: pare de fazer o que está fazendo já! Esse é um comando que você certamente terá inúmeras oportunidades de realizar. Não esqueça de premiar o cachorro sempre que obedece, como carinho e petiscos.
  • ATRAVESSA
    Esse é um comando mais raro, mas não menos importante. Apenas permita que seu cachorro atravesse a rua, mesmo estando sob coleira e guia com você, depois de dar o comando “atravessa”. A prática deve acontecer em todo e qualquer passeio. Quando possível atravessar a rua, dê o comando e ao final a recompensa: carinho e/ou petiscos. Com paciência e bastante treino, se um dia você passar por um susto de arrebentar a guia ou seu cachorro fugir, a tendência é que ele não atravesse a rua inadvertidamente.

Nós já pontuamos antes, mas nunca é demais. Para garantir sucesso nos objetivos, é importante ter disciplina, constância e paciência, além de equipamentos adequados. Para ter total atenção e dedicação do seu cachorro, faça sempre sessões de treinamento curtas. Duas sessões de 15 minutos TODOS OS DIAS, é suficiente. E, convenhamos, nem é tanto tempo assim, né? 🙂

Quer se aprofundar no assunto? Pegue essas 5 dicas de livros:

  1. Manual do Cachorro
    Você gostaria de entender melhor o seu cachorro e resolver todos aqueles probleminhas chatos de comportamento? Neste livro você irá aprender a resolver os problemas comportamentais mais comuns em cães filhotes ou adultos. Cada capítulo descreve as causas e soluções de vários problemas comportamentais
  2. Tudo sobre truques e adestramento de cães
    Com esse manual extremamente fácil de usar você conseguirá ensinar a seu cachorro diversos tipos de comandos, os truques mais atraentes e tudo o que for necessário para isso. Utilize petiscos, brinquedos e um clicker para treinar seu cachorro. Ensine truques adequados à raça de seu cachorro. Trate os problemas comportamentais de seu cachorro pela raiz. Solucione problemas comuns, como fazer as necessidades no lugar errado e latir excessivamente. Lide com os cães que exigem cuidados especiais, como os medrosos ou os agressivos.
  3. Cachorro – Manual do Proprietário
    Escrito em linguagem fácil e acessível, “Cachorro – Manual do Proprietário” é um livro fundamental para quem deseja adquirir um exemplar da raça canina ou até para quem já tem um e deseja passar bons momentos ao lado dele. Amplo e abrangente, ideal para consultas, trata-se do mais completo guia para donos de cães, que mostra de maneira organizada que curtir seu animal pode sair mais barato e divertido do que você pensa.
  4. Manual do Filhote
    Este livro possui dicas e informações para que cão e dono vivam em harmonia e em ambiente saudável. A obra traz informações ilustradas com quadros e fotos, além de fichas de controle de exames, vacinas etc. Também mostra como lidar com o filhote nos primeiros dias, como fazer a socialização, resolver problemas de comportamento, escolher a ração adequada e dar início ao adestramento básico.
  5. Adestramento Inteligente
    Ter um cachorro em casa é uma alegria – afinal, ele é nosso melhor amigo, nosso companheiro, alguém que nos ama incondicionalmente. Mas o que fazer quando esse nosso amigo desenvolve sérios problemas de comportamento? Ninguém quer ter em casa um cachorro que late a noite a toda ou que rói todos os móveis, certo? Foi pensando em resolver problemas cotidianos dos donos de cães que Alexandre Rossi, o Dr. Pet, escreveu este livro. Sua técnica do adestramento inteligente, baseada no reforço positivo, permite que os cães e outros animais aprendam por meio de estímulos e recompensas, valorizando, assim, as atitudes corretas.

Quer mais dicas para adestrar seu cachorro?
Veja nosso guia completo aqui.

6 Dicas de como introduzir um novo gato em casa

Se você tem buscado maneiras de introduzir um novo gato em sua casa – já “ocupada” por outro(s) felino(s) – deve ter visto duas palavras-chave que determinam a experiência: território e paciência. Pois é, os gatos SÃO TERRITORIALISTAS e VOCÊ VAI PRECISAR DE PACIÊNCIA.

Para facilitar a missão pra você, resolvemos compilar essas 6 dicas a maneira como você deve agir.

Antes de tudo: uma boa relação entre os gatos independe do gênero, mas que sejam CASTRADOS. Gatos não castrados podem gerar conflitos entre os integrantes na casa.

Dica 01: crie um espaço separado para o novato

Se você já tem gato(s) em casa, é de fundamental importância que o novato, a ser introduzido, tenha um espaço só para ele. Esse espaço exclusivo deve ser fechado e será temporário, então prepare-se:

  • O QUE FAZER:
    • Defina um espaço que seja fechado e que você tenha total controle, como um quarto;
    • Deixe uma caixa de areia para as necessidades;
    • Ofereça brinquedos;
    • Ofereça arranhadores;
    • Deixe potes com comida e água;
    • Se possível: lugares pra subir e lugares para ele se esconder.
      Essa será a vida do novato por algum tempo, então o bem-estar dele precisa ser cuidado, afinal, você deseja que ele fique à vontade e tranquilo na nova casa, certo?
  • MANTENHA O ESPAÇO FECHADO:
    • De imediato, o gatinho novato precisa ficar fechado. Sem contato algum com os outros gatos da casa;
    • Isso vai oferecer segurança;
    • A segurança vai promover relaxamento;
    • O relaxamento vai permitir avançarmos à próxima dica.

Uma vez esse espaço definido, os gatos que já moram na casa vão perceber a existência de um novo integrante pelo olfato. Já para o novato, a presença dos outros gatinhos também será percebida.

Por outro lado, é muito importante você oferecer carinho e brincadeira para manter a tensão natural a mais baixa possível. Nessa fase, evite qualquer bronca, ou gerar qualquer tipo de estresse.

[ Veja também: É verdade que grávidas precisam se afastar dos gatos? ]

Dica 02: adestrar para adaptar

Diferente de tudo o que você pensou ao ler “adestrar”, o desafio aqui é bem mais simples. Por meio de ração/petiscos você vai mostrar para os gatos de sua casa que está tudo certo e que aquele ambiente em que vivem é harmônico.

  • O QUE FAZER:
    • Ofereça ração, petiscos ou sachê: Para todos os gatos da casa ao mesmo tempo.
    • Utilizando a porta que divide o novato dos outros como limite, procure aproximar as tigelas para que, enquanto se alimentam, possam sentir a presença uns dos outros.
  • SIRVA VÁRIAS VEZES AO DIA:
    • Utilize pouca ração para que possam concluir a refeição todas as vezes;
    • Importante: sempre com o novato isolado dos outros.

Nessas horas, procure mostrar afeto com todos, dando carinho e um pouco de atenção. A quantidade de vezes a oferecer esses momentos vai do quanto sua rotina permitir. Repita essa dica por pelo menos uma semana.

Dica 03: hora de botar o olfato em ação

Sempre que os gatos se lambem, além de estarem se limpando, estão fazendo com que seus feromônios possam ser sentidos pelos outros gatinhos. Em síntese, a identidade do gato está em seu cheiro.

Após a semana inicial, siga os seguintes passos.

  • O QUE FAZER:
    • Esfregue gentilmente uma toalha, um pano, no corpo do gato novato;
    • Na sequência, deixe a toalha à disposição dos gatos mais antigos. Deixe-a no chão, sem forçar para que a cheirem;
    • Recompense os gatos que tiverem bom comportamento. Isso significa: cheirar e sair calmamente ou até mesmo ignorar a toalha no chão;
    • Brinque, alimente-os e faça carinho com a toalha por perto.
  • NA HORA DO LANCHE:
    • Traga as tigelas próximas à porta (fechada) do refúgio do gato novato;
    • Deixe a toalha com o cheiro do novato, embaixo das tigelas dos gatos residentes.

Replique com paciência por quantas vezes você julgar necessário até perceber boa recepção dos gatos residentes. Não force a barra. Se algum gatinho bufar (“fazer fu”) ou exibir comportamento estressado, deixe para refazer o experimento em outro momento. E assim avançamos gradualmente.

Dica 04: tour pela casa

Depois desses exercícios todos, se você perceber que os gatinhos tem se sentido tranquilos e relaxados, podemos avançar para o próximo ponto de adaptação: o tour pela casa.

  • O QUE FAZER:
    • Tranque os gatinhos antigos residentes em um cômodo por um tempo (tenha ao menos 20min para essa tarefa);
    • Nesse tempo, permita que o gatinho novato ande pela casa;
    • Mantenha brinquedos, petiscos e arranhadores disponíveis;
    • Após o determinado tempo, retorne o novato ao seu refúgio e liberte os gatinhos antigos.
      Importante: SEM QUE se vejam;
    • Se o novato rosnar, bufar ou se mostrar visivelmente incomodado, retorne o novato ao refúgio e solte os outros.

Faça e refaça essa etapa até perceber que o gatinho novato se sente relaxado ao restante da casa, como já é em seu refúgio. Característica marcante de gatinho novo com medo ou inseguro é a busca por esconderijo. Tranquilo, ele andará desinibido pela casa.

Dica 05: manos face a face

Avançar para essa fase significa que seu gatinho novato já se sente tranquilo com o espaço da casa e com o cheiro dos irmãozinhos residentes. Outro ponto importante a verificar é também se os atuais inquilinos se sentem à vontade com a presença do novato. Uma vez que, mesmo separados, há harmonia, então está na hora de apresenta-los visualmente uns aos outros.

  • O QUE FAZER:
    • No momento em que forem comer, deixe as tigelas – do gato novato e dos gatos antigos – mais distantes entre si;
    • Permita que possam se ver, a distância. Uma tela pode ser colocada anteriormente na porta para servir de divisa visual segura;
    • Comece com breves sessões e vá aumentando o tempo de exposição conforme os gatinhos vão se sentindo a vontade.

Além desses momentos de alimentação com a porta entre-aberta, você pode utilizar brincadeiras que interagem com os gatinhos mesmo sem que tenham contato uns com os outros. Um exemplo legal é você utilizar uma varinha por debaixo da porta, metade dela para cada lado. Gato novato de um lado, os gatos da casa de outro. Esses momentos de prazer e interação vão graduadamente derrubando a tensão entre os felinos.

Dica 06: envolvimento entre os gatos

Após esse período de paciência e avanços graduais você percebe “calmaria no ar”? Muito provavelmente seus gatinhos estão prontos para conviver.

  • O QUE FAZER:
    • Munido dos petiscos que eles mais gostam e brinquedos, permita que se encontrem;
    • Mantenha os olhos neles. Não os deixem sozinhos nesses primeiros momentos;
    • No início, evite muito tempo de interação. Aumente esse tempo gradualmente;
    • Tenha em mãos um borrifador com água. Ao menor sinal de agressão, borrife a água para separar a briga e retorne os gatinhos ao status anterior, separados.

É importante você perceber nos seus gatinhos o que é tensão, e discernir o que é apenas brincadeira e o que é violência. Para ver na prática, confira o exemplo de interação saudável entre gatos e o que é disputa territorial no video abaixo:

Para cumprir esses passos, saiba que será exigido de você muita paciência. Introduzir um novo gato em casa não é um processo rápido, então quanto mais você procurar apressar as coisas, maior possibilidade de errar você terá. O tempo para isso é bastante relativo. Todo o processo pode durar semanas, mas também pode levar meses até que a harmonia entre os felinos triunfe. Mesmo assim, existe a possibilidade de nunca dar certo. Como assim?

Gatos que são amigos são gatos que dormem juntos e se lambem. Se os seus gatos evitam isso, é porque apenas se toleram. Na realidade, em muitos casos esse é o máximo que você terá na convivência de seus felinos: tolerância. Deve-se julgar como sucesso, a manutenção de um ambiente harmônico e tranquilo para a introdução de um gato novo em casa.

Se por algum motivo você percebe que a introdução foi errada e seus gatos se mantém em “pé de guerra”, você pode promover a reintrodução. Siga esses passos novamente, com paciência e avançando conforme possível. Existe chance de eles se entenderem! Então paciência e sucesso!

Esperamos que as dicas funcionem pra você e seus felinos 🙂

Fontes:
Blog PetBlog
Cat Club

Treine seu cãozinho a não fazer xixi errado com o Cercado Pet

O treinamento da grade – utilizando o Cercado Pet – você pode fazer em sua casa mesmo!

Utilize a cerca para deixar seu bebê confinado pelas horas que você não puder supervisioná-lo. Como a maioria dos cachorrinhos não vai ao banheiro no mesmo lugar onde dormem, seu cãozinho muito provavelmente vá segurar a vontade de ir ao banheiro nas horas que estiver entre as grades.

Essa rotina de treinamento vai evitar que ele crie o mau hábito de fazer necessidades em local errado – seja em seu apartamento ou casa.

Veja como é fácil treinar seu cãozinho com a cerca

  • Primeiro de tudo: escolha o cercado para seu cão.
    Existem vários tipos de caixas e grades para você escolher, como cercado de aramo, caixa transportadora em plástico, caixas de nylon.. entre outros. O Cercado Pet é o mais usado. Ele permite que seu cãozinho não perca contato visual com o restante do ambiente onde ele está.A caixa de transporte em plástico também é boa opção para o “treinamento de grade”. A desvantagem para esse tipo de caixa é que ele é fechado em três lados, então deixa o espaço do pet sem muita luz. Fica mais difícil também limpar.O Cercado Pet tem a vantagem de ser indestrutível. Seu cãozinho pode tentar mordê-la que não provocará danos. A leveza do material também facilita você a move-la e – se preciso – limpá-la.
  • Seja qual for a caixa ou cerca que escolher, o tamanho é importante.
    O espaço não deve ser muito grande. Você precisa oferecer espaço suficiente para ele se deitar confortavelmente e dar uma volta completa (360°).Se o espaço for muito amplo, seu cãozinho pode utilizar um lado para descansar e o outro lado para fazer as necessidades.

Apresente seu cãozinho ao cercado pet

O “treinamento de grade” deve ter conotação positiva para seu filhote. Introduza seu cãozinho no cercado – seja ele filhote ou já adulto – lentamente. Coloque algo macio no fundo da caixa – colchonete ou manta -, junto de alguns brinquedos. Petiscos são bem vindos também.
Deixe o filhote explorar o espaço no seu próprio ritmo. Não o force a entrar. Se possível, no início deixe a portinha aberta e deixe-o entrar e sair conforme desejar.

Confinamento do filhote no cercado

Assim que seu cachorro estiver confortável ao entrar e sair do cercado, é hora de começar o treinamento. Deixe alguns petiscos dentro do perímetro da cerca e quando ele estiver lá dentro, feche a porta.
Aguarde alguns minutos – ou mais -, e quando ele estiver quietinho, deixe-o sair do cercado. Estique progressivamente a quantidade de tempo que você o vá deixando no espaço. Tudo isso ainda com você por perto, em casa. Perceba que vai chegar dado momento que ele vá ficar confortável em ficar “preso” por uma hora ou mais.
Assim que perceber que ele se sente confortável com o confinamento, comece a deixá-lo sozinho dentro do cercado pet. Quando ele se mostrar calmo, saia da sala por algum tempo e volte para onde ele consiga vê-la(o). Gradualmente, aumente o tempo que você fica fora da visão do cãozinho. Assim ele vai ficar confortável em ficar sozinho, no cercado, enquanto não houver ninguém em casa.

O que NÃO fazer durante o treinamento da grade

Algumas regras são precisos seguir para que o treinamento da grade seja sucesso.
  1. Nunca use a caixa, ou o cercado pet, para punir seu cãozinho.
    O cercado deve ser um lugar gostoso, feliz e seguro para seu filhote estar. Diferente disso, será criado medo e ansiedade nele quando não há ninguém por perto.
  2. Nunca deixe o cãozinho sair da caixa quando ele der uma choramingada ou latir.
    Ele precisa estar calmo antes de ser liberado. Se for libertado após choro ou latido, o ensinamento será de que, se ele latir, você atende. Isso pode causar muito transtorno nas suas noites de sono.
  3. Nunca deixe seu cãozinho preso no cercado por mais tempo que ele é fisicamente capaz de segurar para fazer cocô ou xixi. Filhotes, em geral, não podem segurar suas necessidades básicas por mais de 3 ou 4 horas. Um cão adulto, que nunca foi treinado, também não segura mais que essas 3 ou 4 horas. Já cães mais velhos conseguem segurar um pouco mais.Mas não permita que seu cachorro fique preso no cercado por todo esse tempo sem ser levado a fazer exercícios, brincar ou até mesmo abraçar você.

O treinamento da grade é cruel para o animal?

Você pode estar se perguntando: “não é cruel deixar o cachorro em uma gaiola por tanto tempo?”. A maioria dos adestradores de cães concorda que não é nocivo deixar o cachorro em uma caixa. Seria o equivalente a deixar um bebê em um berço. O cercado pet permite que os tutores possam ficar em paz ao saber que seu cãozinho está seguro quando não estão por perto para supervisionar.
Além disso, os cães são animais. Eles gostam de um local seguro para “chamar de seus” 🙂 Se o treinamento for corretamente aplicado, o cercado pet oferece refúgio seguro. Alguns donos de cachorros que fizeram o treinamento relatam que, mesmo depois de o treinamento concluído, os cães procuram pelo cercado. Já outros confessam que, uma vez que o cãozinho pode ser deixado sozinho por várias horas sem ter feito as necessidades em local errado ou se tornarem destrutivos, eles param de usar o cercado e permitem que seus cachorros saem de suas casas despreocupados.

Fonte: Dogs About

03 Dicas objetivas para escolher o brinquedo certo para seu pet

Você sabia que os brinquedos para cães não são simplesmente para momentos de diversão? Eles vão além! Promovem saúde física e mental para o bichinho.

01 – Pets ansiosos, destrutivos ou estressados não vão estragar sua casa se tiverem brinquedos

Se seu cãozinho fica muito tempo sozinho em casa, ter um – ou mais – brinquedos pode fazer com que ele prefira não destruir seus móveis, cortinas ou pertences. Os brinquedos fazem com que tanto cães como gatos resgatem seus instintos básicos (caçar, explorar etc) e isso proporciona bem estar. Como consequência, ele fica mais tranquilo.

02 – Brinquedos podem servir para você educar seu cão

Alguns brinquedos podem ser utilizados como forma de treinar seu cachorro. Ele recebe recompensa por um trabalho bem realizado – atividade física, socialização com outros cães e até mesmo com o dono.

03 – Antes de comprar um brinquedo para seu pet, considere sua rotina e porte físico

Modelos, cores, tamanhos, texturas… são muitas as variantes entre eles e as opções são variadas. Para não errar, verifique a rotina do seu amiguinho, o que ele gosta de fazer, o que o atrai, qual é sua força física, porte e seu temperamento.

“Brinquedos muito pequenos são perigosos para os cães. Se ele ingere algum componente, até mesmo cirurgia pode ser necessário para resolver. Elementos como sininhos, são atrativos para gatos, mas que podem deixar de lado depois que enjoarem, já os cachorros não sossegam enquanto não “descobrem” a origem daquele barulhinho” afirma Danilo Matias, adestrador do Pet Hotel Dog Life

“A qualidade do material utilizado também deve ser observada. Se os cães conseguem destruir o brinquedo com facilidade, podem ingerir os pedaços” complementa Dalton Ishikawa veterinário e proprietário da Pet Games

Outro ponto importante levantado por Dalton Ishikawa, é o tamanho do brinquedo em relação ao focinho do animal. Pets com focinhos muito grande, quando abocanham uma bolinha jogada pelo dono – por exemplo – pode acabar batendo o dente no chão. Por conta da empolgação, velocidade e força, podem quebrar e por vezes até perder o dente. Ressaltamos que se isso acontecer, os animais precisam ser levados imediatamente ao veterinário que dará cuidado adequado.

Para evitar esse tipo de inconveniente, tanto a bolinha, quanto o brinquedo em si, deve ser maior que os convencionais para que ela sobre na boca do animal e os dentes fiquem então protegidos.

A brincadeira de Fetch nunca foi tão divertida com os brinquedos da linha AFP

Fonte: Revista Meu Pet

Como treinar seu cão utilizando sinais manuais

Muitos adestradores e donos de cães promovem seus treinos utilizando simples sinais manuais. Às vezes, é possível utilizá-los sem comandos de voz.

Mas o que são os sinais manuais?

É simplesmente utilizar a linguagem de sinais com as mãos para sinalizar seu cachorro a fazer o que você desejar como sentar, deitar etc. Existem sinais padrão reconhecidos pela maioria dos treinadores, mas você pode também criar os seus próprios.

Como treinar seu cão utilizando sinais com as mãos
Uma boa relação com seu cãozinho começa com um bom adestramento.

Por que utilizar sinais manuais?

Existem algumas razões para você escolher usar sinais com as mãos para o seu cãozinho, como por exemplo:

  •  Cães são excelentes em fazer leitura corporal.
    Na realidade, acham até mesmo mais fácil identificar o que as pessoas dizem com seus corpos do que com a linguagem falada.
  • Alternativa para cães surdos ou com grande dificuldade de audição.
    Usar sinais com as mãos permite aos donos de cães surdos, treina-los normalmente como qualquer outro cão.
  • Excelente para eventos de obediência ou competições.
    Em diversos casos, a linguagem por sinais manuais são mais fáceis de usar ou necessárias quando você está envolvido em esportes competitivos.
  • E por fim: é divertido!
    Se você gosta de adestrar seu cão, esta é mais uma alternativa para acrescentar no seu repertório de habilidades. E vai impressionar muito as pessoas que virem a obediência de seu filhote.

Como treinar os cães usando sinais com as mãos

Adestrar seu cãozinho com gestos manuais é tão fácil quanto com ordens vocais. Veja as etapas que podem ajudar você no treinamento:

  1. Tenha total atenção do seu cachorro. Ele deve ver o sinal, claro, então certifique-se que ele está olhando para você.
  2. Aplique o sinal. Por exemplo, se você está querendo que seu cão sente, use a palma da mão para baixo e faça o movimento apontando ao chão.
  3. Siga os passos para treinar o cachorro de forma consistente. Utilize a mão oposta, a que vai utilizar o sinal, para colocar um petisco sobre sua cabeça.

Resolvendo problemas

Existem alguns erros comuns que as pessoas fazem ao treinar um cão com as mãos. Veja algumas dicas de como evitá-los:

  1. Treinar movimento com a mão deve ser separado do adestramento verbal. Você pode confundir o cachorro se trocar repentinamente de sinais com as mãos para comandos verbais durante a mesma sessão. Atenha-se a um ou outro até que o cão seja capaz de fazer as duas coisas sem hesitar.
  2. Use sempre o sinal com a mão primeiro. Às vezes os cães aprendem comandos verbais antes de sinais com as mãos. Se você percebe que esse é o caso de seu filhote, certifique-se de sempre dar o sinal com a mão primeiro. Depois então dê o comando verbal e pratique várias vezes até seu cãozinho aprender a executar os comandos apenas com o sinal das mãos.
  3. Se você der o comando verbal antes do sinal com a mão, vai ficar difícil para seu cachorro fazer a conexão de um com o outro e dificilmente ele vá fazer o que você quiser.
Deseja mais dicas sobre como adestrar seu cão? Tem mais aqui! Veja esse post com 06 etapas para você adestrá-lo.
Como treinar seu cão utilizando sinais manuais
Como treinar seu cão utilizando sinais manuais
Quer aprender a fazer esse comedouro elevado para seu dog?
Clique abaixo e baixe gratuitamente o manual!
Faça você mesmo esse comedouro!

Cães podem urinar por excitação ou submissão

Enquanto o cachorro pode ser o melhor amigo do homem, aquela poça de xixi no chão, com certeza não é. Se o seu cãozinho filhote, ou adotado de uma situação de abandono ocasionalmente faz xixi no chão sem nenhuma razão justificável, ele pode estar com problemas de micção submissa ou por excitação.

Meu filhote urina por excitação ou submissão? Como saber?

Primeiro, leve seu cãozinho ao veterinário para descartar qualquer outra possível razão para o comportamento inapropriado. Se ele(a) apontar que o filhote não tem qualquer problema urinário, como identificar o comportamento submisso?

Se o cachorro não faz xixi quando você está em “posição dominante” (por exemplo, procurando olhar seu cãozinho diretamente nos olhos, flexionando a cintura para encara-lo), as chances de seu cãozinho sofrer de problema de excitação é grande.

Já se seu cãozinho faz xixi quando você chega em casa ou quando ele está sob alguma pressão, provavelmente o problema é de submissão. De qualquer maneira, isso pode ser resolvido.

Nunca agrida seu cãozinho para tentar ensina-lo qualquer coisa. O efeito sempre será de medo

 

Meu cachorro urina por submissão

Cães submissos fazem xixi quando são festejados, alguém se aproxima ou quando são punidos – histórico de tratamento violento ou castigo após fazer xixi – bastante comum em cãezinhos abandonados

Essa é também uma reação comum com cães tímidos e ansiosos. Para corrigir, evite gritar de forma agressiva com o cãozinho após ele ter feito sujeira. Em vez disso, tente construir relação de confiança, ensinando comandos simples com reforços positivos após cada sucesso.
Aprenda a se aproximar de seu cãozinho com posturas “não-dominantes”. Evite enfrenta-lo olho no olho, aborde pelos lados, agacha-se ao nível da altura dele. Quando fizer carinho, prefira acariciar debaixo do queixo em vez de faze-lo na parte superior da cabeça.
São detalhes que fazem diferença para a percepção do filhote.

Quando o cão fizer xixi, simplesmente limpe sem criar alardes e vá embora. Se o cachorro faz xixi no tapete higiênico ou onde você definir, não esqueça de elogia-lo e recompensa-lo com carinho.

Meu cachorro urina por excitação

Geralmente, esse comportamento acontece com cãezinhos com menos de 12 meses de idade. Depois dessa idade, eles se comportam normalmente e a micção por excitação some. No entanto, enquanto urinarem por excitação, isso vai acontecer sempre que estiverem brincando, jogando, quando você chegar em casa ou quando levar visitas.
Para ajudar o seu cachorro (e salvar aquele lindo tapete da sua sala), tente manter todas as brincadeiras e momentos de maior excitação fora de casa. Ou utilize local com almofadas e tapetes higiênicos preparados para receber a urina 🙂 Dessa forma, se houver um pequeno acidente devido ao excesso de excitação, não vai ser grande coisa. 

Seja urina por excitação ou submissão, você precisa ter paciência com seu filhote

Síntese de dicas:

  1. Sempre que acontecer algum acidente inesperado, não repreenda ou puna seu cãozinho. Basta limpar a sujeira em silêncio e deixar o cachorro sozinho. Encha de carinho e atenção quando o filhote fizer xixi no lugar correto.
  2. Outra dica é você ignorar o filhote quando chegar em casa. “Ah, mas isso não é cruel demais?” Não mesmo! Dessa forma você dá ao seu cãozinho uma chance de ele se acalmar por conta própria. Peça aos visitantes de sua casa fazerem o mesmo.
  3. Sempre que seu cãozinho fizer as necessidades fora de casa, durante passeios, ou nos locais apropriados quando em casa, dê carinho ou até mesmo uma guloseima de recompensa.

Isso tudo não só ajuda a quebrar o hábito de fazer xixi quando excitado ou submisso, mas vai ajudar seu filhote a ter personalidade mais calma e confiante.

Boa sorte! Mas não esqueça: paciência e perseverança sempre vão lhe compensar na educação de seu cãozinho.

Compartilhe sua experiência conosco, utilize os comentários abaixo!

Se você desejar produtos que auxiliem no cuidado com seu pet, algumas soluções como Seca Xixi, Adestrador Pode x Não Pode e Tapetes Higiênicos são excelentes escolhas.


Adestre seu cão brincando

Quando as pessoas pensam sobre o treinamento de reforço positivo, sempre pensam em usar alimento como recompensa. Biscoitos e outros alimentos são grandes motivadores, mas não são únicos. Aqui vamos apresentar pra você como utilizar brincadeiras para conquistar bons comportamentos de seu cãozinho.

Veja como você pode treinar seu filhote nas brincadeiras:

Adestre seu cãozinho brincando
Cabo-de-guerra e bolinhas são ótimas sugestões de brincadeiras

Antes de começar

Embora seja possível treinar novos comandos para seu cão durante um jogo, geralmente é melhor usar desses jogos para reforçar comandos que ele já sabe. Ao treinar novos comandos para seu cão, procure faze-lo em locais com baixos ruídos e distrações. Como joguinhos de buscar bolinha ou cabo-de-guerra geralmente envolvem ambas situações, ajuda bastante se você introduzir os comandos que deseja trabalhar antes mesmo de começa os jogos.

Faça o cãozinho se mexer antes de brincar

A grande maioria dos cachorros entende rapidamente que ver um brinquedo, bola ou um puxão significa que a brincadeira está prestes a começar. Antes de começar, mostre o brinquedo, mas o mantenha fora do alcance do cão. Passe o comando: “senta!”, ou “pra baixo!”. Assim que ele obedecer, comece a brincar (seja jogar bolinha para ele buscar ou cabo-de-guerra).

Se o cão não responde seu comando, ou leva tempo demais para responder, “saia de cena” por alguns minutos. Depois volte para o pet e dê o comando novamente. A maioria dos cãezinhos aprende rapidamente que, quanto mais rápido eles responderem ao comando, mais rápido a diversão começa.

Adestre seu cão brincando
Cachorro é inteligente. Ele aprende rapidinho!

Brincar para aprender

Logo que começa a brincar com seu filhote, você já tem muitas chances de reforçar o aprendizado dele. Você pode praticar o comando “solta!”, quando seu cão tem o brinquedo ou a bola na boca. Se ele soltar, retome imediatamente a brincadeira. Se ele não deixar cair a bolinha ou brinquedo, vire as costas e se afaste por um tempo.

É interessante como logo ele aprende que a brincadeira só continua quando ele deixar cair a bolinha na hora do comando.

Acabe com comportamentos indesejados

Adestre seu cão brincando
Não tolerar mau comportamento é parar de brincar

Brincadeiras são também oportunidades para acabar com comportamentos indesejados de seu cãozinho, como saltos e mordidas. Fazer isso é fácil, basta parar de brincar a qualquer momento que o cão apresentar o mau comportamento.

Por exemplo, se você estiver brincando de cabo-de-guerra e seu cachorro belisca sua mão, em tentativa a obter melhor posição na brincadeira, diga alguma palavra de ordem como “feio!” ou, “errado!” e pare de brincar.

O mesmo serve para cãezinhos que saltam para agarrar brinquedos longe de você. Termine a brincadeira e guarde o brinquedo. Seu cachorrinho vai aprender rápido que o mau comportamento põe fim nos joguinhos que ele tanto gosta.

Solucionando problemas

Se seu cão insiste em não responder os comandos, ele pode não estar entendendo direito o que você está pedindo. “Volte um pouco os passos” e comece a trabalhar os comandos em um local com o menor nível de distrações possível em várias sessões de treino.

Depois que seu cachorro compreender o que você está pedindo, você pode tentar incorporar novos treinamentos em novas brincadeiras.

Adestre seu cão brincando
Diversão com educação é mais legal!

Você já teve sucesso nos seus treinamentos? Passou por alguma dificuldade?
Compartilhe com a gente, comente abaixo!

Cães-modelo são tendência nas campanhas de moda

Cães da raça Greyhound, aqueles famosos corredores, trocaram de lugar com os modelos tradicionais em uma campanha de 2014 da famosa italiana Trussardi.

A marca vestiu os cães de cor marrom com branco (idêntico ao seu mascote), óculos de Sol, casacos e bolsas da coleção. A campanha foi orquestrada pelo famoso fotógrafo William Wegman e indica uma tendência interessante: a utilização de modelos caninos no lugar de humanos.

Cães modelo são tendências de moda
Muito elogiados, os Greyhounds fizeram um excelente trabalho
Cães modelo são tendências de moda
Perceba a elegância da postura!

A Trussardi encomendou o trabalho de Wegman justamente pelo seu sucesso em uma campanha anterior para os estúdios Acne. Ambas campanhas tem características influenciadas pelo blog Menswear Dog.

As fotos dificultam um pouco imaginar como as roupas da Trussardi poderiam servir a uma pessoa real, mas fotografar os Greyhounds vestidos elevam o trabalho do fotógrafo a uma obra de arte. O que falta de apelo comercial para as imagens, sobram no estilo e bom humor.

Cães modelo são tendências de moda
Além do estilo, parece que os Greyhounds se divertiram na sessão de fotos!

 

Cães modelo são tendências de moda
É “estilo pra cachorro”!

“Dedico esse projeto aos Greyhounds da Trussardi”, disse William Wegman em um comunicado oficial. “Misteriosamente calmos, maravilhosamente fotogênicos e – principalmente – incrivelmente elegantes”, completou sobre seus modelos.

As obras de Wegman estão expostas atualmente em coleções permanentes em museus do calibre do Museu de Arte Moderna (MoMA), Whitney Museum e o Centro Pompidou em Paris.

Em seus trabalhos para a Acne (2013), com os lindos Weimaraners e Trussardi (2014) tornaram o fotógrafo especialista em moda canina. No caso da campanha da Acne, a divulgação foi em torno de Nova York em uma jogada de marketing de guerrilha. Naquela ocasião, os Weimaraners foram vestidos com estampas tropicais, chapéu Panamá e sapatos. Veja o video de making-off abaixo:


Lançado no início de 2014, o sucesso do blog Menswear Dog tem espalhado o grande trabalho de Wegman mundo afora.

Cães modelo são tendências de moda
Uma das peças criadas pra o estúdio Acne. Inspirações para a Trussardi

E você, o que achou?
Os cães não são – talvez – mais elegantes e bonitos que muita gente por aí?