Comportamento Psicologia Saúde

Como combater a ansiedade nos cães: causas comuns e soluções possíveis

Segundo os estudiosos do comportamento animal, até 40% dos cães sofrem de ansiedade de separação. Outras formas de ansiedade canina também podem afetar os cães, e isso deixa seus donos muito perdidos de como ajudá-los.

Na realidade, muitos donos de cães simplesmente não estão preparados para lidar com o comportamento de seus animais de estimação quando estes se sentem ansiosos. Seu pet pode uivar, chorar, reclamar e latir constantemente ou até começar a destruir a casa para lidar com o que está sentindo.

Saber ajudar é ainda mais difícil, já que são várias as formas de ansiedade nos cães. Uma melhor compreensão de todas as diferentes formas de ansiedade canina pode ajudar. Siga com a leitura deste post e aprenda a identificar a causa da ansiedade do seu dog. Só então comece a mirar em uma solução.

Índice de assuntos abordados
  • Sintomas de Ansiedade Canina
  • Ansiedade relacionada ao medo
  • Ansiedade da separação
  • Ansiedade causada pela idade ou dor
  • Ajudando cães com ansiedade
  • Medicamento: o que dar aos cães com ansiedade?
  • Fale com seu veterinário

  •  

    Sintomas de Ansiedade Canina

    Embora já mencionado que existem vários tipos de ansiedade canina, todos compartilham de sintomas semelhantes.

    Cães com ansiedade podem:

    • Andar vacilante, pra frente e para trás;
    • Girar em círculos ou correr atrás do rabo constantemente;
    • Babar e tremer;
    • Apresentar dificuldade para respirar;
    • Uivar e latir incessantemente;
    • Se esconder de tudo e de todos;
    • Roer móveis e outras coisas;
    • Arranhar o piso ou portas;
    • Correr com barulhos altos;
    • Evitar de certos objetos;
    • Exibir comportamento agressivo, como rosnar ou morder.

    Em um esforço para lidar com seus sentimentos de ansiedade, os cães também podem se mostrar deslocados. Eles podem se coçar muito ou bocejar constantemente, em uma busca para mudar o que estão sentindo no momento. Eles também podem ficar farejando o chão ou correr de janela em janela tentando se distrair.

    Os sintomas da ansiedade variam consideravelmente de cão para cão e dependem das causas primárias. Por exemplo, fugir de barulhos altos e evitar certos objetos pode indicar uma raiz de ansiedade relacionada ao medo e não a outros tipos.

    Buscar a raiz do problema é essencial para ajudar a resolver a ansiedade dos cães. Compreendendo o que causa a angústia, os donos de cães podem finalmente encontrar maneira de aliviar a ansiedade dos cães e acabar completamente com os sintomas que eles apresentam.


     

    Ansiedade em cães: Destruição
    Entre os sintomas de ansiedade nos cães está a destruição de móveis

    Ansiedade relacionada ao medo

    Com a ansiedade relacionada ao medo, os cães costumam agir nervosos em situações específicas ou em torno de determinados objetos.

    Eles exibem apenas os sintomas de ansiedade só nessas circunstâncias particulares e agem de maneira completamente normal no restante dos momentos.

    A ansiedade nos cães, relacionadas ao medo, pode surgir durante:

    • Tempestades;
    • Shows de fogos de artifício;
    • Passeios de carro;
    • Visitas a lugares totalmente novos;
    • Descoberta de objetos estranhos.

    Quase qualquer coisa pode provocar medo nos cães, especialmente se eles não foram previamente acostumados à situação ou item em questão. Exemplo: alguns cães reagem com extremo medo ao simplesmente ver sacos de plástico sacudindo ao vento, fazendo com que eles se tornem cada vez mais medrosos com esse objeto.

    Os donos dos cães devem identificar a causa exata dos medos de seus pets para ter chance de reduzir ou eliminar totalmente suas ansiedades. Sem esse diagnóstico, fica muito mais difícil ajuda-los a resolver o problema.

    Causas da ansiedade por medo

    Um pouco de medo e cautela é normal e saudável, já que os cães encontrarão novas situações ao longo da vida. Seus tutores precisam trabalhar com paciência e gentileza com seus cães para evitar que os níveis mais elevados de medo se instaurem. Enquanto isso, é importante que não tratem os cachorros com excesso de preocupação, dessa forma, o cachorro capta essas emoções e reforça seus medos.

    A ansiedade canina relacionada ao medo também pode começar em resposta a uma situação angustiante. Os cães precisam reservar um tempo para investigar o espaço ou o item diante deles para lidar com seus medos de maneira saudável. Se forem forçados a atravessar determinada área desconhecida antes que tenham decidido fazer, seus medos podem piorar e se agravar, causando a ansiedade em novas situações semelhantes.

    Ansiedade em cães: Medo
    Lide com segurança com seu cachorro. É muito importante para ele, sentir confiança em você.

    Genética

    Qualquer raça de cachorro pode desenvolver ansiedade, embora alguns apresentem um risco maior se deixados por conta própria com muita frequência. Border Collies, Galgos e raças semelhantes, por exemplo, tendem a ser cautelosos com novas situações e a desenvolver ansiedade baseada no medo. Qualquer treinamento ou condicionamento não reverterá essa predisposição do cachorro para ser medroso. Seus donos só podem procurar atenuar os efeitos e ajudar o cão a encarar as novidades da vida com curiosidade, em vez de medo.

    Educação

    A maneira como os cães são criados durante a infância e depois também afetam seu potencial para desenvolver a ansiedade baseada no medo. Os filhotes precisam ser socializados e levados ao mundo com frequência para que desenvolvam postura calma para novas situações. Privá-los de novas experiências e interações sociais antes das 14 semanas de idade pode deixá-los com medo de tudo que a vida apresentar.

    Mesmo cães com tendência genética a ter medo, ou não terem a melhor educação, podem superar seus medos com a ajuda de seus donos. É necessário, portanto, que você identifique a causa exata da angústia do seu animal de estimação para então dirigir às soluções certas.

    Para isso, observe como o cão se comporta em diferentes situações e faça uma lista das coisas que você percebe que desencadeiam uma resposta ansiosa. Em seguida, tente encontrar pontos em comum entre os itens da lista e identifique o caminho para a melhor solução.

    Soluções

    Existem muitas soluções para eliminar os medos do seu cachorro e, então, reduzir a ansiedade baseada no medo. Nem todas elas funcionarão para todos os cães; portanto, serão necessárias algumas “tentativas e erros” até encontrar a medida certa. Antes de começar, é importante entender o que não fazer ao lidar com um cachorro com medo.

    Por exemplo, nunca:

    • Dê conforto ao pet demonstrando sinais de medo. Isso só servirá para afirmar a ansiedade canina;
    • Force o cachorro a encontrar um objeto ou a enfrentar lugar ou situação que cause medo;
    • Oprima um cão estressado, forçando-o a trabalhar seus medos naquele momento.

    Em vez disso, prepare os cães para aprender sobre o mundo e enfrentar seus medos com sucesso. Certifique-se de entender com o máximo de precisão os níveis de estresse do cachorro a cada sessão de treinamento. Por exemplo, para manter o envolvimento sempre positivo. Além disso, procure sempre terminar com uma recompensa generosa (leia-se petiscos) e carinho honestamente feliz por um trabalho bem feito.

    Exercícios de exposição controlada

    Para lidar com a ansiedade canina relacionada ao medo, os exercícios de exposição geralmente funcionam muito bem. Sempre esteja em um ambiente controlado. Isso permite que o cão treine sem distrações e ajuda a impedir que qualquer gatilho atrapalhe o treinamento, podendo prejudicar todo o progresso.

    Para concluir os exercícios de exposição direcionadas, comece com os os provocadores de estresse “mais leves” e, em seguida, trabalhe até os mais desafiadores. Por exemplo, se o cachorro tiver um pouco de medo de carrinhos de bebê, coloque um carrinho vazio do outro lado da sala e convide-o a dar uma olhada. Não aproxime o objeto nem faça com que ele mude de posição.

    À medida que a linguagem corporal do seu cão relaxa e ele se aproxima do carrinho por conta própria, elogie e dê petiscos. Caso ele não se aproxime, mova lentamente o carrinho alguns centímetros mais perto, levando seus níveis de conforto ao limite, mas sem sobrecarrega-lo.

    Mantenha essas sessões de treinamento curtas, parando entre 5 a 10 minutos por vez. Termine sempre exaltando o esforço do cachorro com entusiasmo honesto para que esse momento fique associado a bons sentimentos. Isso ajudará o cachorro a entender os momentos de treinamento com confiança e entusiasmo, substituindo progressivamente o sentimento de medo que nutria antes.

    Passeios em ambiente livre

    Quando seu cachorro parar de mostrar reações de medo à situação ou ao objeto em questão, o próximo estágio de treinamento fica em torno de saídas para reforçar o aprendido anteriormente em ambiente controlado. O ideal seria que os passeios deem ao pet a chance de encontrar seus gatilhos de estresse em um ambiente descontrolado.

    Leve esse processo tão devagar quanto antes, como se nenhum progresso tivesse sido alcançado. Se possível, apenas siga a orientação do seu cachorro em farejar objetos ou conhecer novas áreas, fornecendo suporte e controle ao longo do passeio. Não esqueça dos elogios e petiscos à medida que o cão reaja calmamente aos estímulos. Como já mencionado, isso sempre ajuda a reforçar os sentimentos positivos e mantém o medo sob controle.

    Repita os exercícios de exposição e passeios em ambiente livre para cada situação ou objeto angustiante para efetivamente desmontar todos os medos instalados no cão e criar sólida confiança.


     

    Ansiedade em cães: Separação
    Essa cena de cortar o coração você já deve ter visto.. sintoma da “ansiedade de separação”, muito comum em nossos pets.

    Ansiedade da separação

    Por volta de 40% dos cachorros de estimação tem ansiedade de separação. Há uma grande chance de seu próprio pet ter esse problema. A ansiedade de separação ocorre toda vez que o cão é deixado sozinho em casa, carro ou outro local – não apenas ocasionalmente.

    As reações por serem deixados sozinhos é geralmente bastante dramática. Os cachorros podem:

    • Latir e uivar sem sequer parar para respirar;
    • Rasgar sofás, quebrar pedaços de móveis usando dentes e garras;
    • Fazer necessidades por toda casa, quando normalmente não o fariam;
    • Babar e correr pela casa criando bagunça por onde passar.

    O treinamento de arrombamento raramente ajuda, pois cães com ansiedade de separação vão fazer de tudo para sair, ignorando a dor até mesmo se se machucarem.

    Como os cães são muito inteligentes, eles podem até começar esses comportamentos à medida que percebem que seus donos começam a se preparar para sair. O tutor, vestindo uma jaqueta ou pegando as chaves do carro, por exemplo, pode desencadear a ansiedade canina e deflagrar o início dos comportamentos.

    Causas da Ansiedade de Separação

    Os cães podem desenvolver ansiedade de separação por vários motivos e, alguns, geralmente estão fora do controle de seus donos. Ao perceber por que seu cão está ansioso, você pode entender melhor o que precisa fazer para ajudá-lo com uma solução.

    A seguir, as causas mais comuns de ansiedade de separação em cães:

    Abandono

    Cães abandonados, especialmente ao serem levados a abrigos, eles experimentam o triste sentimento de descarte. Quando acontece, os cães podem tentar desesperadamente impedir que essa situação aconteça novamente, mantendo-se sempre ao lado do dono.

    Ao serem deixados sozinhos, eles podem sentir que estão sendo abandonados de novo, fazendo com que reajam conforme sua ansiedade vai piorando. Como resultado, podem desenvolver comportamentos destrutivos. Esse comportamento é uma “válvula de escape” que ajuda o cachorro a lidar com os sentimentos fortes da ansiedade e ocupa seu tempo até que seus donos voltem pra casa e esse mal estar passe.

    Alterações e mudanças domésticas

    Mudanças domésticas, como um divórcio, um novo bebê ou uma mudança de cidade, também podem fazer com que os cães desenvolvam ansiedade de separação. Grandes mudanças geralmente resultam em reviravoltas que os cães não compreendem. Em consequência, seus níveis de estresse e ansiedade aumentam e os deixam incapazes de lidar adequadamente com as mudanças.

    Os cães podem reagir às mudanças domésticas ficando pegajosos, desejando ficar sempre ao lado de seus donos. Quando todos saem para o trabalho ou escola, o cachorro não tem certeza se essa mudança é permanente ou não, deixando-os estressados. Para lidar com isso, provavelmente começarão a destruir calçados, móveis ou exibir comportamentos agressivo até que todos voltem para casa.

    Falta de exercício físico

    De acordo com um estudo sobre o comportamento canino, a falta de atividade física também pode contribuir para o desenvolvimento da ansiedade de separação. Os comportamentos ansiosos podem surgir em cães que têm muita energia reprimida e não têm como a expulsar. Eles podem parecer frenéticos para seus donos chegarem em casa porque precisam sair e brincar ou ter algo pra fazer.

    A menos que façam o exercício que precisam, esses cães podem começar a inventar suas próprias atividades, que em geral são bastante destrutivas. Também podem se jogar loucamente sobre os membros da família quando entrarem pela porta, na esperança de ter a chance de sair pra correr e brincar. Esses comportamentos geralmente acabam mal, a menos que sejam rapidamente resolvidos. Em longo prazo, causam problemas adicionais à saúde do animal.

    Identificar a causa da ansiedade de separação nos cachorros é interessante, mas não significa que é necessário para a solução do problema. Não importando a causa, você precisa seguir os mesmos passos para ajudar seu pet a superar esse problema.

    Soluções

    Antes de trabalhar na própria ansiedade de separação, verifique se o cão está fazendo exercícios suficientes todos os dias. Dependendo da raça, porte e nível de atividade, os cães precisam entre 30 minutos e duas horas de atividade física por dia para se manterem felizes e saudáveis. Cães pequenos, como o Spitz Alemão Anão, pode precisar de apenas 30 minutos, enquanto cachorros mais ativos, como o Boxer, precisa de duas horas completas. Reflita sobre a situação e a necessidade do seu cachorro e garanta que ele receba tempo suficiente para brincar e gastar energia. Esse pode ser o começo da solução para a ansiedade dele.

    O “treinamento de arrombamento” pode ajudar alguns cães, mas outros ficam em pânico enquanto o dono estiver fora de casa. Apesar disso, vale a pena ver se o uso de uma caixa piora o problema antes de seguir as etapas de treinamento. Deixe o cachorro na grade enquanto as pessoas estiverem em casa, dessa forma você tira o efeito da separação. Faça da caixa (ou grade) um espaço positivo, dando ao cachorro brinquedos e petiscos especiais para ele curtir lá.

    Funcionando ou não, você ainda precisará ajudar seu pet a superar a ansiedade da separação definitivamente. Para atingir esse objetivo, siga estas etapas:

    • Coloque o cachorro na caixa (grade) ou em uma sala segura com todos os seus brinquedos favoritos;
    • Permaneça sempre calmo calmo e diga ao seu cão que você voltará breve;
    • Deixe o ambiente onde o cachorro estiver por apenas alguns segundos para começar e aumente gradualmente o tempo de ausência;
    • Volte ao ambiente onde ele está e recompense seu cão por estar calmo e quieto.

    É necessário repetidamente executar essas etapas de treinamento, aumentando o tempo de sua ausência em cada rodada. A cada dia trabalhe algumas rodadas por vez e sempre termine com elogios e um petisco, ofereça ao final sempre um momento de muito prazer e carinho. Assim o cachorro sente segurança e acalma ainda mais seus medos. Progressivamente você vai ajudá-lo a se sentir menos ansioso.

    Depois de treinar seu cão para ficar “em paz” enquanto você estiver fora, ajude-o a aguardar calmo até sua chegada, sempre oferecendo um algo especial antes de sair de casa. Como sugestão, você pode congelar alimentos molhados, ração e petiscos especiais em um brinquedo KONG, ou deixar um brinquedo interativo como o Fetch’n Treat AFP por exemplo. Cria-se assim uma forma de interação que o cachorro vai gostar e se dedicar horas a fio. Assim, o seu pet deve ficar torcendo pra você sair de casa e ele ter esse tratamento especial.


     

    Ansiedade em cães: cachorros idosos
    Cães velhinhos precisam de atenção especial.

    Ansiedade causada pela idade ou relacionado a dor

    Tanto idade avançada quanto dor frequente podem desencadear ondas intensas de ansiedade nos cães. Isso pode provocar mudanças drásticas no comportamento canino. Podem parecer mais medrosos em situações normais e se recusar a cooperar em ambientes ou situações desconhecidas.

    Se o comportamento do seu cão mudar repentinamente, começarem a manifestar ansiedade inesperada, é hora de consultar um veterinário. O veterinário vai avaliar o cachorro para doenças comuns e também seu comportamento. Durante esses exames, eles geralmente conseguem identificar o que está incomodando seu cão para encontrar maneiras de lidar com sua ansiedade.

    Causas da ansiedade por idade ou dor

    À medida que os cães envelhecem, sua saúde física e mental vão se comprometendo naturalmente, causando intensa ansiedade. Os problemas de saúde existentes, como o diabetes, podem complicar as coisas, principalmente se causarem dor. A dor frequente pode causar ansiedade em cães mais jovens também. Como os cachorros não conseguem se dizer o que sentem, faça uma visita ao veterinário para descobrir exatamente o que está errado.

    Dor física

    No vet, seu cão fará um check-up completo, que permite ao profissional diagnosticar as condições que potencializam os sintomas de ansiedade. O veterinário vai procurar sinais físicos e provavelmente realizará alguns testes para fazer um diagnóstico mais preciso.

    Dores físicas associadas à ansiedade em cães podem ser:

    • Artrite;
    • Abscesso dentário;
    • Doença gengival;
    • Infecções de ouvido (otite);
    • Infecções do trato urinário;
    • Câncer;
    • Pancreatite.

    Quando os cães sentem dor, podem reagir agressivamente ao serem tocados ou deixados sozinhos por longos períodos de tempo. Além disso, é importante que você saiba: eles não entendem por que estão se sentindo tão mal e isso acaba agravando os sintomas de ansiedade.

    Declínio cognitivo

    Os cães, igualmente aos seres humanos, sofrem um declínio cognitivo à medida que envelhecem. Consequentemente, a ansiedade se torna pior com o tempo. Também como os humanos, os cachorros podem desenvolver demência em idade avançada, embora isso seja chamado de “síndrome da disfunção cognitiva canina”.

    Os sintomas da síndrome da disfunção cognitiva canina podem incluir:

    • Confusão;
    • Irritabilidade;
    • Reações estranhas a situações normais;
    • Fraqueza física;
    • Maus hábitos de sono;
    • Acidentes domésticos.

    O cachorro pode começar a agir de maneira nervosa por qualquer período de tempo em que você o deixar, mesmo ele nunca ter sentido a ansiedade de separação nos anos anteriores.

    Perda de visão e/ou audição

    Quando os cães perdem a visão ou a audição, a ansiedade tende a surgir à medida que passeiam e sentem dificuldade pelo ambiente por onde andam. Cães cegos podem ficar nervosos se não conseguirem atravessar a casa sem esbarrar nas coisas pelo caminho ou sentirem dificuldade em encontrar o dono com facilidade. Cães surdos podem sentir ansiedade se forem abordados de susto ou sentirem que não podem participar mais das interações como faziam antes.

    Há muitas coisas a considerar antes de definir a causa da ansiedade relacionada a idade ou à saúde nos cães. Nessa hora, um veterinário pode ajudar melhor a identificar a causa e lhe ajudar com soluções para seu cãozinho lidar com as mudanças.

    Soluções

    Se a situação de saúde física e mental determinarem a ansiedade do seu pet, ele precisará de cuidados de um veterinário para se recuperar.

    Em alguns casos, há tratamento que pode ajudar a aliviar as dores e em consequência os sintomas da ansiedade. Em casos mais graves, no entanto, os veterinários poderão apenas oferecer conforto mínimo. Passar pelo processo de diagnóstico e conversar sobre as opções de tratamento com o profissional será a única maneira de você lidar com a situação.

    Além de tratamento para a condição diagnosticada, os veterinários podem sugerir também o uso de suplementos ou medicamentos para aliviar os sintomas no cão. Remédios anti-ansiedade podem aliviar o sofrimento, mas muito provavelmente não resolverão definitivamente o problema.

    Felizmente, existem algumas coisas que você pode fazer para aliviar esse sofrimento em seu velho amigo de estimação, por exemplo:

    • Carinho e palavras confortantes em voz baixa e calma;
    • Uma vez identificadas, evitar tocar áreas dolorosas;
    • Oferecer um cobertor ou brinquedo para interação;
    • Deixar a TV ou rádio ligado quando sair de casa.

    Se o seu cachorro estiver sentindo muita ansiedade por causa da cegueira, então, ter um outro cãozinho saudável pode ajudá-lo muito. O cachorro saudável ajuda na orientação do cachorro cego, servindo como guia e apoio. Apenas certifique-se de que o cãozinho companheiro tenha perfil tranquilo para ter maior efeito junto ao parceirinho cego.

    Cães surdos, por outro lado, podem precisar aprender comandos com sinais manuais para se acalmar e lidar com as mudanças. Eles também precisam que seus donos os abordem apenas pela frente e evitem tocá-los sem que percebam sua presença antes.

    Se seu pet está doente, machucado ou apenas envelhecendo, é importante eliminar os riscos à saúde dele em sua casa também. Se o cachorro tem dores no quadril, por exemplo, considere usar tapetes seguros em pisos lisos para melhorar a aderência. Além disso, considere deixar comida e o cantinho de descanso em áreas de fácil acessibilidade.


     

    Ansiedade em cães: Companhia para animais de companhia :)
    Companhia para animais de estimação também ajudam a diminuir sintomas de ansiedade.

    Ajudando cães com ansiedade

    Não importa a causa, cães com ansiedade se beneficiam de sessões de treinamento específicas.

    Esses treinamentos podem ajudar o cachorro a desenvolver sólidas habilidades para enfrentar e compreender as situações incômodas que provocam ansiedade. Por outro lado, as sessões de treinamento precisam ser concluídas regularmente e reforçadas no dia-a-dia para reduzir a ansiedade de maneira efetiva. Essa é uma missão para quem tem disciplina e real vontade de ajudar o pet.

    Um instrutor qualificado pode ajudar você nesse processo. Assim você adquire confiança para avançar com os treinamentos de maneira consistente. Você pode usar as orientações para praticar as habilidades em casa e ajudar seu cão a enfrentar o estresse. Os profissionais apresentam maneiras de conter o comportamento destrutivo do pet e substitui-lo por ações mais saudáveis. Os instrutores também ajudam a você aprender como avaliar a linguagem corporal do pet. Isso é importante, pois orienta você a entender quando é necessário intervir ou retirar o cachorro de situações estressantes antes que reajam de maneira nervosa.

    Os treinadores de cães tendem a usar técnicas de reforço positivo nos treinos de reabilitação. Por meio do reforço positivo, os cães são estimulados a reavaliar as situações para que não deixem o estresse tomar conta.

    Enquanto ajuda os cães a se sentirem menos ansiosos nos passeios, por exemplo, os dog walkers podem seguir estas etapas:

    • Coloque o cachorro na coleira e pegue alguns petiscos;
    • Vá até o quintal enquanto fica atento às reações do pet;
    • Elogie, faça carinho e dê a recompensa se o cachorro permanecer calmo ao ar livre.

    Depois de deixar o cachorro seguro para sair, você pode levá-lo lentamente além dos limites do quintal. Apenas alguns metros de cada vez, ajudando o cão a lidar com a mudança sem que se sinta sobrecarregado. Quando o cachorro age com calma enquanto enfrenta o que antes gerava estresse, você elogia e oferece carinho e petiscos para reforçar o comportamento desejado.

    O profissional ajusta a abordagem de acordo com o comportamento, fornecendo ao cachorro o apoio e a segurança necessária para que se sintam seguros, confiantes e, assim, menos ansiosos. Para cachorro com mastigação nervosa, você pode buscar fazer com que o cachorro utilize um brinquedo mordedor em vez de destruir móveis. Sempre utilizando o reforço positivo quando o cachorro realiza a resposta desejada (elogio, carinho e petiscos).

    Como os profissionais ajudam você a identificar os comportamentos problemáticos no seu cachorro, eles também vão ajudar a reduzir a ansiedade sentida pelo animal. Quando o pet entende seu lugar na casa e como deve agir, eles ficam calmos e isso promove bem-estar em longo prazo.


     

    Medicamento: o que dar aos cães com ansiedade?

    Quando tudo falhar, ou você desejar solução rápida para um momento de crise, medicamentos podem ajudar. Mas verifique com seu veterinário antes de dar qualquer coisa aos cães, mesmo que algo natural ou remédio de venda livre.

    Se seu veterinário receitar algo que funcione, utilize. Há muitas opções, mas às vezes serão necessárias algumas tentativas e erros até encontrar o melhor medicamento para o seu pet.

    Remédios sem prescrição veterinária

    Certos medicamentos vendidos sem receita, como Benadryl, são relativamente seguros para os cães tomarem contra ansiedade. Evite, no entanto, dar o remédio sem consenso de seu veterinário. Ele pode lhe oferecer melhores informações sobre dosagem e considerações que sejam perfeitas à necessidade de seu cachorro.

    O Benadryl é produzido com difenidramina HCL, que é um anti-histamínico usualmente utilizado no tratamento de alergias em pessoas e também em cães. O ingrediente ativo impede que as histaminas atinjam receptores no cérebro, que desencadeiam reação. Benadryl também é útil para frear a ansiedade, já que acalma mente e corpo através de seus efeitos sedativos. Os cães em geral se sentem um pouco sonolentos depois de tomar o remédio, então quando estiverem em um ataque de estresse, eles podem descansar em vez de destruir alguma coisa para lidar com o incômodo.

    Por outro lado, este medicamento nunca deve ser administrado em cães com certas condições de saúde, como glaucoma e distúrbios convulsivos. Portanto, certifique-se de consultar seu vet para confirmar se este remédio será positivo ao dog antes mesmo de dar a primeira dose.

    Considerações a respeito da dosagem

    Como com qualquer medicamento sem receita ou prescrição, as doses são importantes para que o resultado pretendido seja atingido sem causar danos ao animal. De acordo com o manual da Merck para veterinários, Benadryl é normalmente administrado a uma taxa de 2 a 4 mg por quilograma de peso corporal. Já a dose ideal para seu cachorro pode variar conforme seus sintomas de ansiedade e condições de saúde.

    Sempre evite o remédio em cápsulas que liberam o medicamento ao longo do tempo, pois elas podem se romper causando overdose. Além disso, muita atenção às diferenças de dosagem entre os vários tipos de Benadryl. A pílula e a forma líquida deste medicamento, por exemplo, têm diferentes doses a serem seguidas; então, obedeça os conselhos do veterinário e não invente ou substitua suas recomendações.

    Efeitos colaterais

    Como com qualquer medicação, Benadryl pode causar efeitos colaterais que vão de inofensivos a graves:

    • Aumento da frequência cardíaca;
    • Respiração curta e rápida;
    • Retenção de urina;
    • Letargia;
    • Vômito;
    • Diarréia.

    Os efeitos colaterais mencionados tendem a surgir dentro de uma hora após a administração da medicação. Fique de olho em seu cachorro dentro desse período e relate quaisquer efeitos colaterais ao seu veterinário. Com a ajuda dele, você pode avaliar melhor a relação de benefício e riscos e decidir se este é o melhor remédio para seu pet.

    Remédios naturais, ervas e medicina alternativa para cães

    Se você precisar, ou desejar, algo que ofereça menos ou nenhum efeito colateral, considere suplementos vitamínicos, ervas ou outros remédios naturais. Existem muitas alternativas úteis disponíveis para o tratamento da ansiedade em cães. Ao menos para minimizar os sintomas. Veja aqui algumas opções:

    Camomila

    Assim como as pessoas, os cães podem se beneficiar muito da ingestão de camomila para lidar com a ansiedade. Os compostos ativos nesta erva, como a apigenina, ajudam a acalmar corpo e mente, afastando assim os efeitos do estresse. A erva também tem um efeito sedativo leve, dando aos cães a chance de relaxar.

    Como provavelmente os cães não vão aceitar tomar um chazinho, o ideal é adquirir a erva com base glicerinada. A dosagem mais comum é de 1 ml por 13,6 kg de peso corporal, embora seja mais adequado você verificar junto ao vet a dose perfeita para o seu cachorro.

    Raiz de Valeriana

    A raiz de valeriana é outro suplemento de ervas que pode ajudar os cães a se sentirem menos ansiosos. Esta erva atua como um agente sedativo e calmante leve, que pode ser usado conforme necessário para tratar a ansiedade canina. Os cães tendem a ficar sonolentos depois de ingerir a raiz e, dessa forma, evitar reações agressivas ou destrutivas pela casa afora.

    Procure este suplemento em tinturas, cápsulas ou comprimidos para mastigar e imagine qual seria o mais fácil de utilizar junto ao seu cão. Mais uma vez veja com seu veterinário para encontrar a dose certa, pois ela pode variar consideravelmente de cachorro para cachorro e também conforme a sua formulação.

    Óleo de Canabidiol (CBD)

    Ao usar o óleo de CBD, são ativados os endocanabinóides naturais do cérebro. Isso ajuda a controlar a ansiedade na fonte. Os receptores canabinóides no cérebro atraem os compostos CBD, que estimulam a produção de serotonina. Ajuda a estabilizar o humor e a reduzir sentimentos de ansiedade – seja em cães, seja em humanos.

    Para melhores resultados, adquira apenas óleo de CBD feito com cânhamo de espectro total e indicado para uso exclusivo em cães. As instruções de dosagem estão incluídas no frasco, mas é sempre bom consultar o veterinário para confirmar se estão corretas e adequadas ao seu pet.

    Florais de Bach

    O Dr. Edward Bach criou uma mistura única de essências florais para auxílio do alívio de sintomas da ansiedade. Assim nasceu o Rescue Remedy que é indicado a cães, gatos e outros animais.

    Muitos compostos de flores diferentes são apresentados neste remédio, como:

    • Clematis: para estarmos acordados e presentes para ajudar a recuperação;
    • Rock Rose: coragem de vida para enfrentarmos momentos difíceis, e melhora os sangramentos;
    • Impatiens: paciência, calma, para relaxar até chegar o socorro.

    Ao colocar apenas algumas gotas do remédio na água bebida pelo cachorro, espera-se a redução considerável da ansiedade dele. Esta mistura pode ser usada diariamente sem qualquer risco de efeito colateral, sendo uma ótima opção para cães que estão sempre ansiosos.

    Os veterinários podem lhe sugerir suplementos, vitaminas e outros remédios mais naturais para seu cão ansioso. Como em outras soluções, geralmente é necessário paciência e diversas tentativas até encontrar algo que de fato funcione para os sintomas de cada cão.

    Medicação com prescrição veterinária

    Quando a ansiedade é muito intensa, os cães têm dificuldades até para se concentrar no treinamento feito justamente para aliviar os sintomas desse estresse.

    Os pets podem encontrar pouco ou nenhum alívio em remédios naturais e alternativos. E é importante que você procure eliminar os sintomas para só então preparar seu cachorro para o enfrentamento do dia-a-dia com os treinamentos que vimos acima.

    Para ter sucesso nesse objetivo, seu veterinário pode prescrever remédios anti-ansiedade ao cachorro. Esses medicamentos aliviam rapidamente o estresse, permitindo que os cães não se sintam sobrecarregados e reajam de maneira agressiva ou destrutiva.

    São vários os medicamentos para o tratamento do distúrbio. Entre eles:

    • Amitriptilina;
    • Lorazepam;
    • Alprazolam;
    • Diazepam;
    • Fluoxetina.

    O vet usará o histórico médico e também considerar os sintomas do cachorro para então identificar a melhor medicação para ele. A causa da ansiedade também entrará em jogo, pois alguns remédios são melhores que outros para determinados fins.

    O Alprazolam, por exemplo, proporciona alívio rápido para ansiedade intensa causada por barulhos prolongados, como fogos de artifício, trovoadas ou outros gatilhos de estresse temporários. Normalmente é administrado conforme a necessidade, e não com uso contínuo. Os efeitos calmantes e sedativos agem imediatamente e eliminam completamente os sintomas de ansiedade.

    A Amitriptilina, por outro lado, pode ser tomada diariamente em doses baixas para impedir que a ansiedade chegue a se manifestar. Por outro lado, esse remédio não deve ser usado no momento em que o cachorro já esteja incomodado com o estresse. Em vez disso, ele fornece suporte em longo prazo, auxiliando na produção de serotonina no cérebro do cachorro. Cães com ansiedade de separação se beneficiam mais deste medicamento do que os de ação rápida, pois reduz a ansiedade em todos os aspectos.

    Uma vez que os cães tomam um medicamento prescrito pelo veterinário para controlar efetivamente a ansiedade, você como dono ou dona responsável, pode se dedicar ao treinamento e outros métodos mais naturais para resolver os problemas comportamentais de seu pet. Alguns cães são capazes de parar o uso total do medicamento quando aprendem a se comportar diante das situações que antes eram gatilhos dos problemas. Mas outros cães podem ter que viver sob medicação permanente por toda a vida.

    Apenas o veterinário vai lhe fornecer a orientação e o apoio necessário para encontrar a melhor medicação e também qualquer método posterior para manter a ansiedade e o estresse longe do seu cão. Lembre-se de agendar exames regulares, mesmo que o medicamento mantenha a ansiedade do seu cachorro sob controle.

    Ansiedade em cães: Fale com seu Veterinário
    Dicas e esclarecimentos são sempre bem vindos: mas nada substitui o conhecimento técnico de um profissional veterinário!

     

    Fale com seu veterinário

    Quando os cães se sentem ansiosos, eles procuram alívio junto aos seus donos. Se não puderem contar com isso, eles simplesmente continuarão com os comportamentos destrutivos. Essa é a forma como lidam com o que estão sentindo. Felizmente, basta uma pequena observação e reflexão sobre o motivo pelo qual seu cão está manifestando a ansiedade para começar a encontrar as soluções.

    Por tentativa e erro, você pode encontrar saídas que funcionarão melhor para os sintomas de ansiedade específicos do seu cachorro. Sua dedicação e paciência ajudará a diminuir o sofrimento do seu cão e, como consequência, melhorar a qualidade de vida e até de sua relação com o pet. Para tanto, reserve um tempo na agenda para conversar com seu veterinário para começar o quanto antes.

    O que você achou?

    Se você chegou até aqui, nos diga o que você achou das dicas nos comentários abaixo. Se você já passou pelo problema e hoje desfruta da solução com o seu cachorro, compartilhe sua experiência aqui.

    Fonte:
    Top Dog Vitamins

    Você pode gostar também!

    Sem comentarios

    Deixe um comentario

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.