Pelúcio
Comportamento Saúde

Solidariedade entre pets: a emocionante história de Pelúcio

Após 7 anos de vida normal, o gato Pelúcio desenvolveu uma grave doença auto-imune. Então a doação de sangue de outros quatro gatinhos salvou a sua vida!

Se você não tem filhos, ou nenhum pet, vai ter dificuldade de entender o poder do amor que sentimos por eles. Esse poder é tão grande, que é comum vermos donos de pets destinar tempo e grandes esforços para lhes oferecer a melhor qualidade de vida possível.

A história que vamos contar aqui, cruzou com o dia-a-dia na Petite Sofie por acaso. Após a aquisição de quatro caminhas Donut Truppy dos Bichos no site, a mamãe do Pelúcio, a gaúcha Márcia Donadio, nos disse que elas seriam presentes. Mas o que nos impressionou foi a razão dos presentes. Como a própria Márcia disse:

Essas quatro caminhas serão dadas de presente a quatro gatinhos que doaram sangue para a recuperação do meu Pelúcio, que passou por uma anemia violenta e a retirada do baço.

Márcia Donadio

[ Veja também: Gatificação – o que é e qual sua importância? ]


Pelúcio, ainda convalescendo do tratamento, mas todo confortável em sua caminha nova da Petite Sofie
Pelúcio, ainda convalescendo do tratamento, mas todo confortável em sua caminha nova da Petite Sofie

Uau!

O que aconteceu foi que Pelúcio lutou para sobreviver às sérias consequências de uma grave doença.

Márcia se desesperou ao ver Pelúcio muito magro, letárgico, pálido e medroso. Ela então o levou ao Centro Veterinário BLUT’S de Porto Alegre. Sob responsabilidade da dra. Luciana Lacerda, e com decisiva participação da especialista em clínica e cirurgia de felinos, dra. Gabriela Araújo, Pelúcio teve o diagnóstico: Anemia Hemolítica Imunomediada.

Os anjos da guarda aparecem quando menos esperamos

A transfusão de sangue era fundamental para salvar a vida de Pelúcio. Para encontrar os gatinhos compatíveis, foram criados apelos por meio das redes sociais.

Foi então que os anjinhos Nego, Fumaça, Quentin Allen e Yoshi apareceram. E foram fundamentais para a sobrevivência do Pelúcio. As transfusões ocorreram sem nenhuma intercorrência. Pelo contrário até, em uma das oportunidades o laboratório abriu as portas em um Domingo para que uma transfusão pudesse ser realizada.

Esses são os anjinhos do Pelúcio, já usufruindo dos presentes que a mamãe do Pelúcio, Márcia, lhes deu.
Esses são os anjinhos do Pelúcio. Aqui retratados já usufruindo dos presentes que a mamãe do Pelúcio, Márcia, lhes deu em agradecimento.

Hoje Pelúcio vem se recuperando desses momentos tão decisivos de sua vida com tranquilidade e amor incondicional da sua tutora, Márcia.

Por meio da dedicação e responsabilidade de Débora Pinto em cuidar de pets abandonados pela entidade Protetores Voluntários de Viamão, Pelúcio encontrou Márcia. E não apenas ele. Márcia adotou seus três gatinhos com a Débora. Um ato de amor que traz felicidade ao dia-a-dia de Márcia.

Adote você também um gatinho!

Seu pet pode ser doador!

No caso do Pelúcio, o Centro de Diagnósticos Veterinários BLUT’s foi chave importante para a identificação do problema e rápida solução com as transfusões dos quatro gatinhos.

O lindo trabalho realizado pelo centro gaúcho é também compartilhado por dezenas de outros parceiros que você pode conhecer pelo site Patinha Vermelha. Lá, você também pode cadastrar seu pet como doador de sangue e salvar outros “Pelúcios” Brasil afora. Seu pet deve cumprir com os seguintes requisitos:

  • CACHORROS:
  • Ter entre 1 e 7 anos;
  • Ter pelo menos 25kg;
  • Estar clinicamente saudável;
  • Realizar controle de ectoparasitas (pulgas, carrapatos e etc);
  • Realizar vermifugação periodicamente;
  • Vacinação deve estar em dia;
  • Ter temperamento dócil;
  • Não ter passado por procedimento cirúrgico recente (2 meses);
  • Fêmeas não podem estar gestantes.

  • GATOS:
  • Ter entre 1 e 8 anos;
  • Ter pelo menos 4,5 kg;
  • Estar clinicamente saudável;
  • Realizar controle de ectoparasitas (pulgas, carrapatos e etc);
  • Realizar vermifugação periodicamente;
  • Vacinação deve estar em dia;
  • Ter temperamento dócil;
  • Não ter passado por procedimento cirúrgico recente (2 meses);
  • Fêmeas não podem estar gestantes.

Buscando mais informações sobre a Anemia Hemolítica Imunomediada que Pelúcio acabou desenvolvendo, encontramos a história da Paula Abrahão, dê uma espiada, é outra história emocionante!

[ Veja também: Onicotomia – não faça isso com seu gato! ]

E você? Já passou por algum aperto com seu pet? Compartilhe conosco nos comentários abaixo:

Você pode gostar também!

4 Comentarios

  • Reply
    Marcia Donadio
    28 de agosto de 2019 at 11:06 PM

    PELÚCIO continua MUITO BEM de saúde!!! Voltou a ser meu antigo amado gato , meu “DIABINHO BRANCO”, inquieto e arteiro…. VIDA NORMAL!!!!! Não existem PALAVRAS que agradeçam ao envolvimentos de todas as pessoas queridas que salvaram a vidinha dele, e também da publicação de VOCÊS!!!

    • Reply
      Petite Sofie
      4 de setembro de 2019 at 2:24 PM

      Nada melhor que um final feliz para uma história tão impressionante como essa, Marcia! Ficamos muito felizes pelo Pelúcio e por você também! S2

  • Reply
    Idette Arantes Altmann
    7 de agosto de 2019 at 9:54 PM

    A história me emocionou! Nunca havia pensado em doação e transfusão de sangue entre gatos. Que trabalho e dedicação maravilhosos por parte dos envolvidos. Que agradecimento e reconhecimento carinhoso da sra. Márcia. Que bonito Petite Sofie nos relatar… 😍

    • Reply
      Petite Sofie
      8 de agosto de 2019 at 8:58 AM

      Histórias bonitas como essa precisam ser espalhadas mundo afora né? :*

  • Deixe um comentario

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.